MEC defende universidade pública paga

A Secretária Executiva do MEC defendeu em audiência com dirigentes do PROIFES-FEDERAÇÃO a cobrança de mensalidades nas universidades e institutos federais públicos. A reunião ocorreu no dia 16 de fevereiro passado. Durante a reunião, a arrogância de Maria Helena Castro levou-a a ameaçar impor a medida por meio de uma PEC – emenda constitucional. Foi o seguinte o diálogo:

Maria Helena: Nem sei ainda que países têm universidades públicas plenamente gratuitas para todos independente da situação socioeconômica. O Brasil não pode ficar fora do mundo real.

Rolim: A nossa posição sempre foi de que a graduação e a pós-graduação não devem ser cobradas até por uma questão de realidade nacional.

Maria Helena: Ah, mas vai ser. Sinto muito, mas vamos [cobrar mensalidade]. A USP vai começar e quando a maior universidade pública do país começar, as outras vão cobrar, porque você quebra uma barreira.

Rolim: Mas esse é um debate que deve passar por uma reforma constitucional.

Maria Helena: Mas tudo é possível. Não acabamos de votar várias PECs? Até a PEC do Teto nós votamos.

Baixe aqui a matéria.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Mendonça no Ministério, Privatização e marcado , . Guardar link permanente.

7 respostas para MEC defende universidade pública paga

  1. Maria Ângela disse:

    Nem disfarçam mais: ” Ah, mas vai ser. Sinto muito, mas vamos [cobrar mensalidade]”. Definitivamente o “Brasil” chegou no limite da barbárie, a missão é acabar com tudo que é público. O povo existe apenas para produzir e produzir, como escravos à serviço de seus senhores. Que poder é esse? Não temem o povo! É muita certeza da alienação das massas.

  2. Paulo Teixeira disse:

    A universidade deve continuar pública, porém não com gratuidade universal. A justiça já é assim. Vai processar sua operadora de celular porque ela te lesou? Tem custas judiciais. Não tem condições de pagar, ok, prove que não tem recursos e serás isento das custas. Na educação superior, o Estado tem que priorizar a pós-graduação (Mestrado e Doutorado), pois é ali que se produz ciência. Agora, ensino de graduação, tem que acabar mesmo essa “farra do boi”. (PS: fiz minha graduação em universidade pública)

  3. Osvaldo disse:

    Há, ainda, dúvidas sobre o porque de Temer assumir o poder? Ou o verdadeiro, e majoritário, povo brasileiro, composto por trabalhadores e excluídos, começam a sair as ruas para pressionar o congresso golpista “comprado” pelos banqueiros e a FIESP, com vultosos “subsídios” gerenciados por Eduardo Cunha em 2014, ou não haverá mais segurança trabalhista e nem ensino técnico e superior gratuito. ACORDA BRASIL! Ou vamos deixar que façam o mesmo que fizeram entre 1964 a 1985?

  4. sonia lucena disse:

    Além de um governo golpista entregam o MEC a um senhor sem a menor competência na área de educação. Como se não bastasse escolhe uma secretária coxinha e prepotente. Esperavam o quê? Não podia ser diferente.

  5. Eduardo disse:

    Vivemos num país IMORAL!
    Onde tudo é cobrado em seu nível máximo, enquanto o serviço é da pior qualidade. A exemplo as taxas de IPVA, onde o valor é cobrado de acordo com o preço do veículo (onde na verdade deveria ser de acordo com o peso ou a quantidade de eixos) só que o veículo ano a ano é desvalorizado enquanto o IPVA é reajustado.

  6. Pingback: MEC defende universidade pública paga | CONTRACORRIENTE

  7. maria de fatima silva santos disse:

    Tenho muita vontade fazer uma faculdade mais nao tenho como paga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s