Serviço público: estabilidade na mira

Servidores públicos: sejam bem-vindos à era do liberalismo econômico (neoliberalismo). Nesta era, a estabilidade do servidor público será declarada inimiga, pois impede, segundo este, o livre funcionamento do mercado, o qual deve estar baseado apenas no mérito. Com isso, os servidores públicos passam a depender do chefe de turno e de sua avaliação para não serem demitidos, quebrando-se a independência do servidor público frente aos governos e destruindo sua organização sindical.

“O tema é tratado com ressalva pelos técnicos da equipe de Bolsonaro, mas a ideia é criar mecanismos de avaliação dos servidores e acabar com a estabilidade no cargo. Quem não atingir as metas definidas poderia ser exonerado.”

Leia aqui.

Ninguém é contra a avaliação dos servidores públicos, é bom dizer. Avaliação não é incompatível com a estabilidade no cargo. Mas a proposta de avaliação no liberalismo econômico é punitivista e só uma desculpa para controlar, diminuir salários, cortar pessoal e reduzir o Estado ao mínimo, privatizando os serviços, transferindo atividades e recursos públicos para a iniciativa privada.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Serviço público: estabilidade na mira

  1. cicero soares disse:

    Em municipios do interior não haverá mais concurso público e quando acaba a gestão de um prefeito mudasse todo o funcionalismo publico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s