Educação na pandemia: 7 a 1 para a Argentina

Depois do 7 a 1 da Alemanha, agora é a vez do 7 a 1 da Argentina. Esta país decidiu suspender todas as avaliações de todas as escolas em todos os níveis em função da pandemia.

“A ideia, segundo reportado pelo Clarín, é que os estudantes não sejam atribuídas notas —nem numéricas, nem em qualquer outra escala que implique uma “prova” de seu aprendizado— aos estudantes até que eles voltem às aulas presenciais.”

Leia aqui.

Os conteúdos serão redistribuídos entre os anos letivos 2020 e 2021 e se for preciso 2022.

Para o caso dos alunos que estão terminando o ensino fundamental e o médio, haverá tratamento diferenciado especialmente na volta às aulas. Um estudo que estava em andamento foi acelerado e as três primeiras séries do ensino fundamental operarão como um ciclo.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Segregação/exclusão, Weintraub no Ministério e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Educação na pandemia: 7 a 1 para a Argentina

  1. André Mattedi disse:

    Prezado Freitas,
    Boa oportunidade para fazer uma limpa nos programas e retirar um monte de “mercadorias” que atendem apenas aos interesses do “negócio” educacional! No caso da matemática, por exemplo, a maioria dos conteúdos é de caráter técnico especializado e não cabe num currículo de formação geral, como é o caso da educação básica!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s