Niterói quer ser uma nova Sobral

O Secretário Municipal de Educação de Niterói está animado com as velharias da política educacional de Sobral (CE) e disposto a transformar a cidade em uma nova Sobral (agora digital, claro). É um exemplo de como as políticas educacionais neoliberais geradas há 30 anos nos Estados Unidos e na Inglaterra, copiadas por Sobral no Ceará, se pretendem universais e transferíveis em escala mundial.

O Secretário toma aquela cidade como exemplo e em entrevista exclusiva ao A Seguir: Niterói, diz que “quer desempenhar um trabalho que torne Niterói uma espécie de “Sobral fluminense” em educação”.

A desculpa será a pandemia. Mas, esperem pela “Casa da Avaliação Externa” e pelo “escritório de projetos (…) para cobrar prazos, resultados, metas das escolas” que Niterói quer montar. O modelo de Sobral, a verdadeira, é padronizar o conteúdo, estreitar a formação do estudante, avaliar, avaliar e avaliar até que o Ideb suba – não importa como. As mazelas deste modelo já foram examinadas neste Blog (veja aquiaquiaquiaqui) e estão claras na literatura internacional.

O processo e os métodos (incluída a avaliação externa) são elevados à categoria de supremos controladores do magistério. Formas de exclusão internas são implementadas e a meritocracia permeia a aprendizagem dos jovens, justificando as diferenças reais de aprendizagem, mascaradas na avaliação. Tudo isso, agora, embalado em tecnologia digital. A pandemia ofereceu a possibilidade de se passar do neotecnicismo dos anos 90, para o “neotecnicismo digital” da pós-pandemia.

Diz o Secretário na entrevista:

“Precisamos resolver questões básicas, com muita segurança e a ajuda de todos. A cidade tem condições de oferecer conteúdos com linguagens de games, por exemplo, criar um ambiente lúdico e atrativo. Podemos criar, no futuro, um studio maker para que professores gravem aulas. Vamos empacotar os conteúdos, pensar em aplicativos, trazer inteligência para nossa escola. Não adianta distribuir equipamentos eletrônicos se não tivermos um conteúdo pedagógico para que os alunos utilizem os aparelhos de forma correta.”

Leia entrevista completa aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Meritocracia, Privatização, Responsabilização/accountability, Segregação/exclusão e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Niterói quer ser uma nova Sobral

  1. Robson Campanerut da Silva disse:

    Professor,

    Pior que, se olharmos pela plataforma política de Niteroi, são os chamados progressistas que implementam as reformas neoliberais…
    Tristes tempos..

Deixe uma resposta para Luiz Carlos de Freitas Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s