Antecipação da escolarização: eficácia ou dano?

Diane Ravitch informa sobre um estudo de Dale Farran e associados envolvendo o acompanhamento de 2990 crianças de baixa renda em idade pré-escolar, seguindo-as até a sexta série. A reforma empresarial costuma justificar iniciar mais cedo os estudos formais na pré-escola pela crença de que eles contribuirão para acelerar a aprendizagem posterior, ajudando a fechar as brechas educacionais. No entanto, não parece ser este o resultado.

O estudo durou uma década e incluiu 2990 crianças de baixa renda no Tennesse inscritas em programas públicos gratuitos de pré-escola. Foram formados dois grupos: um incluindo os que foram admitidos por sorteio nos programas e outros, um segundo grupo, incluindo os que foram rejeitados.

No final do primeiro ano, as crianças que haviam passado pela pré-escola pontuaram mais alto em prontidão escolar. No entanto, depois da terceira série, eles obtiveram notas mais baixas nos testes, sendo mais propensos a ir para educação especial e apresentavam mais problemas na escola, chegando a ser objeto de suspensões. E ficou pior:

“Onde na terceira série vimos efeitos negativos em um dos três testes estaduais de desempenho, na sexta série vimos em todos os três – matemática, ciências e leitura”, diz Farran.”

“Na terceira série, onde vimos efeitos em um tipo de suspensão, que são violações menores, na sexta série estamos vendo isso em ambos os tipos de suspensões, maiores e menores”.”

Estudos deste tipo deveriam levar-nos a questionar a edição de bases nacionais comuns que antecipam a escolarização na pré-escola, a insistência em submeter as crianças desta faixa etária a testes (e agora a uso prolongado de telas com o ensino híbrido). Mas pais e parte do magistério continuam empenhados em repassar para as crianças seus anseios meritocráticos e privá-las do que é mais característico de sua idade, ou seja, a brincadeira, em nome da sistematicidade e do aprendizado formal antecipado.

Acesse o estudo aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Estreitamento Curricular, Links para pesquisas, Meritocracia, Pastor Milton no MEC, Responsabilização/accountability e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Antecipação da escolarização: eficácia ou dano?

  1. Cecilia M A Goulart disse:

    Tirar o tempo de brincadeiras livres das crianças tem sido observado como um fator negativo para o desenvolvimento global delas, em muitas dimensões. Importante pesquisa você nos traz, Luiz Carlos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s