Novo artigo: uma década de Prova Brasil

Maria Teresa Gonzaga Alves e Maria Eugénia Ferrão examinam a evolução do desempenho e da aprovação em uma década da Prova Brasil  (2007-17).

Uma década da prova brasil: evolução do desempenho e da aprovação

 RESUMO

“O artigo analisa os dados originados pela aplicação da Prova Brasil, a fim de responder duas perguntas: no período de dez anos, houve avanços na qualidade da educação em termos de aprendizado e aprovação no ensino fundamental 1 e 2? Quem são os alunos que melhoraram (ou não), segundo recortes territoriais e características sociais? São apresentadas estatísticas descritivas dos níveis de proficiência e da autodeclaração sobre a reprovação dos alunos do 5º e 9º anos de 2007 a 2017. Os resultados mostram uma melhora contínua dos dois indicadores de qualidade em todas as regiões e grupos sociais. Porém, pelos critérios adotados, as diferenças entre os grupos sociais e regiões do país são importantes para entender os entraves no avanço global do aprendizado e na redução da reprovação.”

Leia aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Links para pesquisas, Prova Brasil, Responsabilização/accountability e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para Novo artigo: uma década de Prova Brasil

  1. MARIA ESTELA SIGRIST BETINI disse:

    Um dado importante do artigo é a diferença da qualidade auferida na Prova Brasil apontando que no 9º ano, a melhora diminui em relação a melhora que ocorreu nos dez anos estudados no 5º ano. O artigo aponta essa diferença:
    “2. Há pesquisas que apontam entraves para a melhoria dos anos finais do ensino fundamental relacionados às políticas educacionais, à infraestrutura escolar, às especificidades da organização do ensino, aos professores e aos alunos….” .
    Salientando a diferença quanto aos professores pesquisas poderiam explorar: a influencia da formação dos professores para essa etapa do ensino fundamental, a forma de contratação desses professores e a perspectiva de crescimento profissional, aspectos que diferenciam muito em relação aos professores da fase inicial do ensino fundamental.

  2. Pingback: Novo artigo: uma década de Prova Brasil – Grupo de Pesquisa em Avaliação e Organização do Trabalho Pedagógico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s