Educação, políticas intersetoriais e territórios

Ao invés de uma política de terra arrasada para a escola pública, privatizações e imposições de fora para dentro, ideias melhores foram abordadas em Seminário promovido pela TIDE Setubal.

“As políticas públicas devem levar em conta as necessidades territoriais específicas. A ideia foi defendida pela socióloga Maria Alice Setubal, na abertura do seminário internacional Cidades e Territórios: Fronteiras e Encontros na Busca pela Equidade, que reuniu mais de 700 pessoas na Fecomércio, em São Paulo, neste dia 14 (terça-feira).”

Veja aqui “Território importa” por Maria Alice Setubal.

Veja aqui depoimento sobre a realidade francesa por Choukri Ben Ayed, especialista em educação nas periferias de Paris e professor do Departamento de Sociologia da Université de Limoges.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais, Links para pesquisas, Segregação/exclusão e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para Educação, políticas intersetoriais e territórios

  1. Claudia disse:

    Foi promovido pelo TIDE Setubal e não pelo Cenpec

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s