Convertendo escolas públicas em terceirizadas

Há muito tempo estamos copiando as ideias fracassadas da reforma empresarial na educação, alardeadas a partir de supostas evidências empíricas.

Michael Deshotels dá uma boa visão do que foi e é, atualmente, o desastre da conversão de escolas públicas em terceirizadas em New Orleans nos Estados Unidos. Tudo começou com a “oportunidade” de privatizar as escolas da Florida quando ocorreu o furação Katrina que destruiu a infraestrutura escolar da cidade de New Orleans.  Conta Deshotels:

“Em 2005, quando o furacão Katrina destruiu fisicamente grande parte do sistema escolar público de Orleans, a legislatura da Louisiana aprovou uma lei permitindo que o Departamento de Educação do Estado assumisse aproximadamente três quartos das escolas públicas de Nova Orleans. De acordo com a nova lei estadual, a transferência das escolas (somente em Nova Orleans) [para o Estado de Louisiana] tornou-se automática para qualquer escola que produzisse menos do que a pontuação média estadual nos testes estaduais. Qualquer escola desse tipo foi declarada arbitrariamente como uma escola falida que precisava ser assumida.”

E então, o Departamento Estadual de Educação, em medida complementar, foi autorizado a converter estas escolas de New Orleans em terceirizadas, administradas por organizações de gestão privadas.

Este processo resultou na demissão de “7.000 professores e funcionários experientes como forma de limpar a casa e permitir aos novos gerentes um novo começo, sem impedimentos de contratos anteriores com professores. “

Com isso, a toque de caixa, professores experientes foram substituídos por professores inexperientes, em geral, fornecidos pela Teach for America, uma organização privada que prepara professores improvisados.

Como conta Deshotels:

“A comunidade empresarial de Nova Orleans e as autoridades estaduais acreditavam que uma abordagem estritamente empresarial focada principalmente em resultados acadêmicos era o remédio de que as escolas públicas de Nova Orleans precisavam. Agora, nos últimos 16 anos, quase todas as escolas públicas de Nova Orleans foram convertidas em escolas charter. Atualmente, é basicamente o único sistema escolar totalmente terceirizado nos Estados Unidos.”

O autor analisa os dados do relatório Pelican Policy Institute e que produziu um estudo que compara os dados mais recentes de todos os sistemas de escolas públicas da Louisiana.

As evidências indicam que o “sistema de terceirização de Nova Orleans está no quartil inferior de todos os sistemas de escolas públicas do estado.”  E continua: “o novo painel revela que para as quatro disciplinas acadêmicas de matemática, leitura, ciências e estudos sociais, apenas 18% de todos os alunos de escolas públicas de Nova Orleans agora são classificados como proficientes ou melhores. Nas matérias-chave de matemática e leitura, Orleans tem um desempenho no percentil 24 em comparação com todos os outros sistemas escolares estaduais. Isso é aproximadamente o mesmo que o sistema escolar de New Orleans tinha antes do Katrina!”

Este é o resultado de uma das maiores privatizações realizadas pelo ideário da reforma empresarial da educação e que agora quer ser copiado na Prefeitura Municipal de São Paulo.

Acesse aqui, em inglês, o texto integral do autor.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Escolas Charters, Links para pesquisas, Meritocracia, Privatização, Responsabilização/accountability, Segregação/exclusão e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s