“Produzindo” a qualidade

Diane Ravitch comenta estudo de Gary Rubinstein que revisou dados de avaliações estaduais de desempenho da cadeia de terceirizadas conhecida por Sucess Academy de Eva Moskowitz. Ela tem sido amplamente aclamada por suas altas pontuações nos testes, no entanto, sua taxa de exclusão é igualmente alta. Como é sabido, se você exclui os alunos de pontuação mais baixa, as médias tendem a subir. Eis um dos segredos das notas mais altas em terceirizadas.

Diz o autor: “quando comparo o número de alunos do jardim de infância que entraram na escola com o número de alunos na 12ª série, que se formam 13 anos depois, elas perdem aproximadamente 75% de seus alunos ao longo dos 13 anos”.

Leia íntegra aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Escolas Charters, Meritocracia, Privatização, Responsabilização/accountability, Segregação/exclusão e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s