PISA: pesquisadores ao redor do mundo reagem ao teste

Em carta ao Diretor do PISA da OCDE, publicada pelo The Guardian, mais de 80 pesquisadores ao redor do mundo expressam sua preocupação com o impacto dos testes do PISA nas redes de ensino. Entre eles o renomado estatístico britânico dos estudos multiníveis (HLM) Harvey Goldstein, a combativa americana Diane Ravitch, e os conhecidos Peter McLaren, Stephen J. Ball e Henry Giroux, para citar alguns. Veja lista completa abaixo.

Quanto mais será necessário para o Governo Dilma e o MEC entenderem que sua política de avaliação centrada em testes, conduzida pelo INEP, está equivocada?

Entre as razões para a preocupação os signatários incluem:

“Estamos francamente preocupados com as consequências negativas dos rankings do PISA. Estas são algumas das nossas preocupações:

• Embora o teste padronizado tenha sido usado em muitas nações durante décadas (apesar de sérias reservas sobre a sua validade e confiabilidade), o Pisa tem contribuído para uma escalada em tais testes e dramaticamente aumentando a dependência de medidas quantitativas. Por exemplo, nos EUA, o Pisa foi invocado como uma grande justificativa para o recente Programa “Race to the Top”, que tem aumentado o uso de testes padronizados para avaliar administradores, professores e estudantes os quais classificam e rotulam os alunos, bem como professores e administradores de acordo com os resultados de testes amplamente conhecidos por serem imperfeitos (ver, por exemplo, o declínio inexplicável da Finlândia do topo da tabela do Pisa).

• Na política de educação, o Pisa, com seu ciclo de avaliação de três anos, tem causado mudança de atenção em direção a correções de curto prazo destinadas a ajudar um país a subir rapidamente no ranking, apesar da pesquisa mostrar que as mudanças duradouras na prática da educação levam décadas, não alguns anos, para serem concretizadas. Por exemplo, sabemos que o estatuto dos professores e o prestígio do ensino como uma profissão tem uma forte influência sobre a qualidade do ensino, mas sabemos também que o seu status varia fortemente entre as culturas e não é facilmente influenciado por políticas de curto prazo.

• Ao enfatizar uma estreita faixa de aspectos mensuráveis da educação, o Pisa desvia a atenção dos objetivos educacionais menos mensuráveis ou não mensuráveis como o desenvolvimento moral, cívico, artístico e físico, entreitando, assim, perigosamente nossa imaginação coletiva sobre o que a educação é e deva ser.

• Como uma organização de desenvolvimento econômico, a OCDE está naturalmente enviesada a favor do papel econômico das escolas públicas [estado]. Mas preparar homens e mulheres jovens para um emprego remunerado não é o único, e nem mesmo o principal objetivo da educação pública, que tem de preparar os alunos para a participação no auto-governo democrático, na ação moral e para uma vida de desenvolvimento pessoal, crescimento e bem-estar.

• Ao contrário de organizações das Nações Unidas (ONU) como a UNESCO ou a UNICEF que têm obrigações claras e legítimas para com a melhoria da educação e da vida das crianças ao redor do mundo, a OCDE não tem essa determinação. Também não há, no momento, mecanismos de participação democrática eficazes no seu processo de tomada de decisão sobre a educação.

• Para realizar o Pisa e uma série de serviços de acompanhamento, a OCDE adotou “parcerias público-privadas” e entrou em alianças com empresas multi-nacionais com fins lucrativos que têm a ganhar financeiramente com quaisquer déficits reais ou percebidos revelados pelo Pisa. Algumas destas empresas fornecem serviços educacionais para escolas americanas e distritos escolares massivamente, com fins lucrativos, além de terem planos para desenvolver ensino fundamental de forma lucrativa na África, onde a OCDE está agora planejando introduzir o Pisa.

• Finalmente, e mais importante ainda: o novo regime do Pisa, com seu ciclo contínuo de teste global, prejudica nossas crianças e empobrece nossas salas de aulas, uma vez que, inevitavelmente, envolve mais e mais longas baterias de testes de múltipla escolha, mais aulas comerciais prontas e menos autonomia para os professores. Desta forma o Pisa aumentou ainda mais o já elevado nível de estresse nas escolas, o que põe em perigo o bem-estar dos alunos e professores.

Estes desenvolvimentos estão em conflito aberto com os princípios amplamente aceitos da boa prática educativa e democrática:

• Nenhuma reforma de qualquer conseqüência deve ser baseada em uma única medida estreita de qualidade.

• Nenhuma reforma de qualquer conseqüência deve ignorar o papel importante dos fatores não-educacionais, entre os quais a desigualdade sócio-econômica de uma nação é fator primordial. Em muitos países, incluindo os EUA, a desigualdade aumentou dramaticamente ao longo dos últimos 15 anos, explicando a diferença de escolaridade cada vez maior entre ricos e pobres que as reformas do ensino, não importando quão sofisticadas sejam, não são susceptíveis de reparar.

• Uma organização como a OCDE, como qualquer organização que afeta profundamente a vida das nossas comunidades, deve estar aberta à responsabilização democrática pelos membros dessas comunidades.

Assinam a carta:

Andrews, Paul Professor of Mathematics Education, Stockholm University

Atkinson, Lori New York State Allies for Public Education

Ball, Stephen J Karl Mannheim Professor of Sociology of Education, Institute of Education, University of London

Barber, Melissa Parents Against High Stakes Testing

Beckett, Lori Winifred Mercier Professor of Teacher Education, Leeds Metropolitan University

Berardi, Jillaine Linden Avenue Middle School, Assistant Principal

Berliner, David Regents Professor of Education at Arizona State University

Bloom, Elizabeth EdD Associate Professor of Education, Hartwick College

Boudet, Danielle Oneonta Area for Public Education

Boland, Neil Senior lecturer, AUT University, Auckland, New Zealand

Burris, Carol Principal and former Teacher of the Year

Cauthen, Nancy PhD Change the Stakes, NYS Allies for Public Education

Cerrone, Chris Testing Hurts Kids; NYS Allies for Public Education

Ciaran, Sugrue Professor, Head of School, School of Education, University College Dublin

Deutermann, Jeanette Founder Long Island Opt Out, Co-founder NYS Allies for Public Education

Devine, Nesta Associate Professor, Auckland University of Technology, New Zealand

Dodge, Arnie Chair, Department of Educational Leadership, Long Island University

Dodge, Judith Author, Educational Consultant

Farley, Tim Principal, Ichabod Crane School; New York State Allies for Public Education

Fellicello, Stacia Principal, Chambers Elementary School

Fleming, Mary Lecturer, School of Education, National University of Ireland, Galway

Fransson, Göran Associate Professor of Education, University of Gävle, Sweden

Giroux, Henry Professor of English and Cultural Studies, McMaster University

Glass, Gene Senior Researcher, National Education Policy Center, Santa Fe, New Mexico

Glynn, Kevin Educator, co-founder of Lace to the Top

Goldstein, Harvey Professor of Social Statistics, University of Bristol

Gorlewski, David Director, Educational Leadership Doctoral Program, D’Youville College

Gorlewski, Julie PhD, Assistant Professor, State University of New York at New Paltz

Gowie, Cheryl Professor of Education, Siena College

Greene, Kiersten Assistant Professor of Literacy, State University of New York at New Paltz

Haimson, Leonie Parent Advocate and Director of “Class Size Matters”

Heinz, Manuela Director of Teaching Practice, School of Education, National University of Ireland Galway

Hughes, Michelle Principal, High Meadows Independent School

Jury, Mark Chair, Education Department, Siena College

Kahn, Hudson Valley Against Common Core

Kayden, Michelle Linden Avenue Middle School Red Hook, New York

Kempf, Arlo Program Coordinator of School and Society, OISE, University of Toronto

Kilfoyle, Marla NBCT, General Manager of BATs

Labaree, David Professor of Education, Stanford University

Leonardatos, Harry Principal, high school, Clarkstown, New York

MacBeath, John Professor Emeritus, Director of Leadership for Learning, University of Cambridge

McLaren, Peter Distinguished Professor, Chapman University

McNair, Jessica Co-founder Opt-Out CNY, parent member NYS Allies for Public Education

Meyer, Heinz-Dieter Associate Professor, Education Governance & Policy, State University of New York (Albany)

Meyer, Tom Associate Professor of Secondary Education, State University of New York at New Paltz

Millham, Rosemary PhD Science Coordinator, Master Teacher Campus Director, SUNY New Paltz

Millham, Rosemary Science Coordinator/Assistant Professor, Master Teacher Campus Director, State University of New York, New Paltz

Oliveira Andreotti Vanessa Canada Research Chair in Race, Inequality, and Global Change, University of British Columbia

Sperry, Carol Emerita, Millersville University, Pennsylvania

Mitchell, Ken Lower Hudson Valley Superintendents Council

Mucher, Stephen Director, Bard Master of Arts in Teaching Program, Los Angeles

Tuck, Eve Assistant Professor, Coordinator of Native American Studies, State University of New York at New Paltz

Naison, Mark Professor of African American Studies and History, Fordham University; Co-Founder, Badass Teachers Association

Nielsen, Kris Author, Children of the Core

Noddings, Nel Professor (emerita) Philosophy of Education, Stanford University

Noguera, Pedro Peter L. Agnew Professor of Education, New York University

Nunez, Isabel Associate Professor, Concordia University, Chicago

Pallas, Aaron Arthur I Gates Professor of Sociology and Education, Columbia University

Peters, Michael Professor, University of Waikato, Honorary Fellow, Royal Society New Zealand

Pugh, Nigel Principal, Richard R Green High School of Teaching, New York City

Ravitch, Diane Research Professor, New York University

Rivera-Wilson Jerusalem Senior Faculty Associate and Director of Clinical Training and Field Experiences, University at Albany

Roberts, Peter Professor, School of Educational Studies and Leadership, University of Canterbury, New Zealand

Rougle, Eija Instructor, State University of New York, Albany

Rudley, Lisa Director: Education Policy-Autism Action Network

Saltzman, Janet Science Chair, Physics Teacher, Red Hook High School

Schniedewind, Nancy Professor of Education, State University of New York, New Paltz

Silverberg, Ruth Associate Professor, College of Staten Island, City University of New York

Sperry, Carol Professor of Education, Emerita, Millersville University

St. John, Edward Algo D. Henderson Collegiate Professor, University of Michigan

Suzuki, Daiyu Teachers College at Columbia University

Swaffield, Sue Senior Lecturer, Educational Leadership and School Improvement, University of Cambridge

Tanis, Bianca Parent Member: ReThinking Testing

Thomas, Paul Associate Professor of Education, Furman University

Thrupp, Martin Professor of Education, University of Waikato, New Zealand

Tobin, KT Founding member, ReThinking Testing

Tomlinson, Sally Emeritus Professor, Goldsmiths College, University of London; Senior Research Fellow, Department of Education, Oxford University

Tuck, Eve Coordinator of Native American Studies, State University of New York at New Paltz

VanSlyke-Briggs Kjersti Associate Professor, State University of New York, Oneonta

Wilson, Elaine Faculty of Education, University of Cambridge

Wrigley, Terry Honorary senior research fellow, University of Ballarat, Australia

Zahedi, Katie Principal, Linden Ave Middle School, Red Hook, New York

Zhao, Yong Professor of Education, Presidential Chair, University of Oregon

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Avaliação de professores, Avaliação na Educação Infantil, Estreitamento Curricular, Links para pesquisas, Meritocracia, Pisa, Privatização, Responsabilização participativa, Responsabilização/accountability, Segregação/exclusão e marcado . Guardar link permanente.

5 respostas para PISA: pesquisadores ao redor do mundo reagem ao teste

  1. Pingback: PISA: PESQUISADORES AO REDOR DO MUNDO REAGEM AO TESTE | Grupo de Estudos e Pesquisa em Avaliação e Organização do Trabalho Pedagógico

  2. Benigna Villas Boas disse:

    Obrigada por socializar estas informações. Precisamos difundi-las. Já inseri no blog do GEPA.

  3. Muito bom, vou trabalhar esse texto com meus alunos de Estágio Supervisionado!

  4. Muito obrigado por todas as informações que vocês disponibilizaram.
    É muito importante compartilhar conhecimentos como esse.
    Fico feliz de encontrar um assunto tão rico na internet, tem muita porcaria por aqui rs.
    Já enviei a matéria para todos os meus alunos. Parabéns mais uma vez!
    Abraços, Leonardo.

  5. Trabalho muito bem apresentado que pode ser discutido em varias instâncias como escolas de Educação básica e as universidades, indicando o quanto de reflexão exigem de nós estes processos avaliativos e a necessidade de tomarmos as rédeas do nosso fazer docente no sentido de “criarmos” se entendermos que é necessário, os processos de avaliação e nos nos pautarmos por modelos que não são de nossa realidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s