USA: privatização via charters decepciona

Cada vez mais circulam relatórios mostrando que não há evidência empírica a respeito da eficácia alardeada pelo reformadores empresariais da educação em relação ao modelo de privatização da escola pública conhecido nos Estados Unidos como “escolas charters” e na Inglaterra como “escolas independentes”. Em 2013 tivemos o relatório do CREDO. Agora, temos outro relatório da Pensilvânia, mostrando os problemas das escolas charters.

Na Pensilvânia, o relatório define as escolas charter como escolas públicas auto-geridas que são criadas e controladas por pais, professores, líderes comunitários e faculdades ou universidades e que recebem financiamento com recursos públicos. É gratuita para o estudante. Uma escola pública pode ser convertida em escola charter se 50% dos pais concordarem.

“Os reformadores continuam a falar das escolas charter como se fossem a resposta para os problemas da educação pública, quando há uma grande quantidade de evidências que mostra grandes problemas com o setor das escolas charters.

Por exemplo, um relatório sobre as escolas charters da Pensilvânia lançado recentemente por um deputado estadual constatou que apenas uma em cada seis escolas charters do estado é de “alto desempenho” e observa que nenhuma das charters on-line é “de alto desempenho.”

O relatório, divulgado pelo deputado James Roebuck, presidente da Comissão de Educação da Pensilvânia, diz que o Estado tem 162 escolas charters (28 dos quais são considerados “de alto desempenho” com base em resultados de testes padronizados) e tem 14 charters cibernéticas.”

Leia mais aqui (em inglês).

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Escolas Charters, Links para pesquisas, Privatização. Bookmark o link permanente.

2 respostas para USA: privatização via charters decepciona

  1. fabío galvao disse:

    Reportagem do IG sobre a escola pública modelo Amorim Lima, em São Paulo, que está mal nas avaliações padronizadas. A prefeitura quer rever a gestão democrática da escola http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/2014-05-22/baixo-rendimento-de-alunos-faz-prefeitura-de-sp-repensar-escola-modelo-para-pais.html

  2. Marina Avelar disse:

    Professor,

    Lembrei do senhor ao assistir o filme “Won’t back Down”, de 2012, que retrata os esforços de uma professora e uma mãe para transformar uma escola americana em charter. Caso não conheça, vale assitir por ser um bom exemplo do discurso da salvação charter para as escolas falidas.

    http://www.adorocinema.com/filmes/filme-199297/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s