USA: testes em queda livre

Nova pesquisa mostra que o público americano recua e rejeita as políticas dos reformadores baseadas em testes-e-punição. Os dados são da pesquisa anual Gallup/Phi Delta Kappan, publicadas hoje pela organização FairTest. Os resultados são um forte alerta para o INEP e suas políticas de testagem, bem como para grande número de estados que apoiam as políticas de pagamento e ranqueamento com base em testes. Também saem mal na pesquisa as propostas sugeridas por Aécio Neves em seu programa de campanha.

A pesquisa de opinião divulgada conclui:

“os americanos se opõem fortemente ao ranqueamento de alunos, professores e escolas com base em notas de exames padronizados. A pesquisa de 2015 da Phi Delta Kappan/Gallup Poll de “Atitudes do público em relação a Escolas Públicas” é a 47ª pesquisa anual promovida pela revista educacional junto com uma das empresas de enquetes mais experientes do país.

“A pesquisa mostra claramente que a maioria dos americanos estão fartos do uso excessivo obrigatório e indevido de exames padronizados”, explicou Bob Schaeffer, Diretor de Educação Pública do Centro. “O público se opõe ao ranqueamento de estudantes, professores e escolas com base em resultados de testes padronizados.”

O diretor executivo Monty Neill acrescentou:

“Estes resultados são uma forte rejeição da estratégia de testar-e-punir subjacente à lei “No Child Left Behind” e muitas políticas estatais. Os membros do Congresso precisam ouvir os seus eleitores e eliminar de leis federais, tanto o volume de teste como as sanções com base em teste. Legislaturas estaduais também precisam reduzir os testes exagerados.”

Outros resultados da enquete:

  • “Quase dois terços (64%) dos americanos acham que as crianças são submetidas a muitos testes padronizados. Isso é majoritário em todos os principais grupos demográficos (negros, hispânicos e brancos), bem como em todos os partidos (Republicano, Democratas e Independentes) [Pergunta 2].
  • O teste foi o último a ser considerado uma medida precisa da eficácia da escola [Perguntas 3 e 5].
  • A maioria dos alunos se opõe a incluir os resultados dos testes padronizados como parte da avaliação de professores [Pergunta 9].
  • Uma variedade de pais com filhos na escola pública (47%) apoia permitir aos estudantes optar por sair dos testes padronizados [Pergunta 4].”

Veja aqui um resumo da pesquisa.

Veja aqui a pesquisa completa.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em ANA - alunos de 8 anos, Avaliação de professores, Avaliação na Educação Infantil, Ideb, Janine no Ministério, Links para pesquisas, Meritocracia, Responsabilização/accountability, Saresp e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s