O “ignóbil” da educação

Anualmente o National Education Policy Center – NEPC – atribui o que ele chama de “Bunkum Award” que é um “prêmio” dado aos autores das piores pesquisas educacionais nos Estados Unidos. É uma brincadeira, mas no fundo uma “brincadeira séria”… Esta semana ele divulgou o resultado referente à premiação do ano 2015.

E o prêmio foi para um estudo conduzido pela National Alliance for Public Charter Schools (Aliança Nacional das Escolas Charters Públicas) publicado com o título de “Separando Fato e Ficção: o que você necessita saber sobre as escolas charters”. O estudo tenta convencer o leitor sobre as virtudes das escolas charters, procurando passar a ideia de que as charters são perseguidas por preconceitos infundados.

A Aliança Nacional das Escolas Charters Públicas ganhou o prêmio como o pior exemplo de pesquisa em política educacional. Coube a David Berliner o anúncio da premiação.

Então, se este estudo aparecer fundamentando algumas das ações aí por Goiás, vocês já sabem…

Baixe o estudo da Aliança Nacional aqui.

Baixe a revisão do estudo da Aliança Nacional feita pelo NEPC aqui.

Veja a nota sobre a premiação aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais e marcado . Guardar link permanente.

Uma resposta para O “ignóbil” da educação

  1. Bruno Costa disse:

    Interessante reflexão, professor. Não tinha me dado conta de que as mudanças em curso em Goiás fossem parecidas com a criação de escolas charters nos EUA.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s