Os pais precisam organizar-se contra a doutrinação militar

Em post anterior falamos sobre a militarização de escolas públicas no Distrito Federal. Neste, divulgo as regras recebidas por uma escola que está em seu quarto dia de militarização. Uma mãe divulgou o seguinte relato nas redes:

“Aos pais e professores que defendem a imposição da militarização nas escolas públicas do DF vou dar  meu depoimento como mãe de alunas cuja escola foi uma das escolhidas. Tentarei ser sucinta. Vejam algumas das regras que foram passadas essa semana aos alunos:

Calça jeans azul

Coque (menina) e cabelos curtos (menino)

Só é permitida uma pulseira

Brinco só um ponto de luz

Anel só tipo aliança

Tênis preto

Mochila de lado

Não pode amarrar agasalho na cintura

Devem bater continência

Os maiores (nono ano) deverão fiscalizar os mais novos (quando tiverem o uniforme)

Deverão se dirigir aos oficiais como “sim senhor comandante”

Não pode encostar na parede dentro da sala

Hoje foi o quarto dia. Ontem minha filha desabou chorando nos meus braços: “eu não sou militar mamãe!” Ela nunca teve problema com a escola.

Ontem o professor dela perguntou porque o silêncio dentro da sala… ele disse que estava preocupado… E quando perguntam se estão gostando todos os alunos dizem NÃO.

Perguntem aos seus filhos. Pensem se isso será bom aos nossos filhos como dizem…

E os professores destas escolas, do lado de quem vão ficar? Do lado da conveniência ou vão defender seus estudantes?

Os pais do DF precisam criar uma organização de pais especificamente com a finalidade de lutar coletivamente contra a militarização. Essa não é uma batalha para se enfrentar sozinho. Podem inspirar-se no movimento de pais “opt out” americano (veja aqui). Lá a bandeira é a luta contra os testes, mas ele pode ter outros objetivos. O que importa é que os pais se unam em ações concretas de proteção aos seus filhos contra políticas improvisadas que não têm nenhuma base empírica que as justifique. Isto sim é doutrinação.

A doutrinação militar das escolas será amplamente recusada pelos alunos. Primeiro em silêncio, depois em ações. Será um belo momento para o fortalecimento das entidades estudantis também e levará ao desenvolvimento de novas lideranças estudantis. Estas novas lideranças serão fundamentais na construção de uma nova fase da democracia brasileira.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Militarização de escolas, Segregação/exclusão, Velez no Ministério e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Os pais precisam organizar-se contra a doutrinação militar

  1. Pingback: Os pais precisam organizar-se contra a doutrinação militar | Grupo de Estudos e Pesquisa em Avaliação e Organização do Trabalho Pedagógico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s