Chile: 50 mil professores nas ruas

O Colégio de Professores do Chile colocou nas ruas mais de 50 mil professores demandando melhores condições de trabalho e contra a reforma educacional que torna disciplinas de história, artes e educação física optativas nos dois últimos anos do ensino médio.

A greve durou quase dois meses. Também os estudantes se somaram em apoio à greve protestando contra uma lei chamada de “Aula Segura” que permite revistar mochilas nas escolas e expulsar alunos que tenham cometido faltas graves nas escolas.

A greve foi suspensa esta semana, mas a pauta de reivindicações continua.

Leia aqui e aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s