Você acredita em milagres?

Postado originalmente na Uol em 8/12/2011

Recentemente nosso Ministro da Educação, Fernando Haddad, inaugurou a era das visitas a escolas de sucesso, tal qual nos Estados Unidos faz seu Secretário de Educação e até o presidente Obama. Alguém por lá resolveu monitorar estas escolas elogiadas e verificar o que acontece com elas depois das famosas visitas. Veja abaixo o resultado. Cocal dos Alves que se cuide!

Há poucos dias (6-12-2011) Diane Ravitch escreveu em seu Blog no Education Week um comentário sobre escolas americanas que foram louvadas como milagres sob o título: Você acredita em milagres? Diz ela:

“Uma das reivindicações centrais do movimento dos reformadores empresariais é que a pobreza não é um destino e que uma escola composta por grandes professores pode eliminar a pobreza. Esta é uma espécie muito atraente de retórica, porque todos nós nutrimos a esperança de que cada pessoa pode superar os obstáculos da pobreza para alcançar o sucesso na escola e na vida.

Certamente, nós estimamos o sonho americano de que as pessoas que crescem em situação de pobreza possam alcançar um sucesso excepcional em suas vidas (mesmo que ciências sociais digam que as probabilidades favorecem quem tem dinheiro, educação e privilégio). Para algumas pessoas, esta formulação tem também o sentido de que podemos ignorar a pobreza, cortar impostos e gastos, e apenas se concentrar no fechamento de escolas, abertura de escolas por contrato de gestão (charters), dar vouchers, colocando as crianças on-line sem professores, aumentando o tamanho das turmas, ou lançar um novo sistema de avaliação do professor.”

A autora enfatiza que há uma correlação forte e inegável entre renda familiar e resultados dos testes que aparece em testes padronizados como o SAT, o ACT, o NAEP, e em todos os outros testes padronizados. Mas considera pouco provável que os professores sozinhos possam fechar as lacunas de desempenho dos estudantes.  Em seu texto a autora examina três escolas consideradas “milagrosas” pelo seu desempenho inédito e que foram louvadas como exemplo de superação.

Para saber o que ocorre com tais escolas pode-se consultar os trabalhos de Gary Rubinstein, que cuidadosamente acompanha as chamadas escolas milagrosas.

Leia mais em:

http://blogs.edweek.org/edweek/Bridging-Differences/2011/12/do_you_believe_in_miracles.html

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Escolas Charters, Fernando Haddad no Ministério, Links para pesquisas, Postagens antigas da UOL, Responsabilização/accountability, Vouchers e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s