Efeito colateral

A redes de ensino e os professores, pressionados que são por resultados em testes, estão aumentando o recurso à caracterização dos alunos que não aprendem no ritmo esperado como sendo hiperativos.

“Cientistas australianos descobriram que os tratamentos contra o transtorno conhecido como déficit de atenção e hiperatividade provocam um crescimento mais lento durante a puberdade, segundo informa a imprensa nesta segunda-feira (21).

O estudo liderado por Alison Poulton, da Universidade de Sydney, descobriu que uma maior dose deste tipo de remédio coincidia com uma desaceleração maior no crescimento na adolescência, embora não descarte que se possa atingir um tamanho normal ao chegar à idade adulta.” Leia mais aqui.

Remédios para deixar as crianças mais “quietas” e “focadas” produz efeitos colaterais até agora desconhecidos. É mais do que urgente controlar o uso destes medicamentos nas redes de ensino, cujo uso está aumentando.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s