Maranhão: privatização de presídios

A privatização tem como uma de suas áreas de interesse os presídios, na área de segurança. Em alguns países, prisões são operadas por concessão a gestores privados. Recentemente, o país foi sacudido pelos acontecimentos no interior dos presídios do Maranhão. Lá as verbas para a privatização de presídios aumentoaram 163% em relação a 2011. Desde 2009, primeiro ano da administração de Roseana Sarney, o gasto total do governo maranhense com empresas privadas de segurança passou de R$ 10,1 milhões para R$ 88,7 milhões no ano passado – crescimento de 778%.

Os resultados desta privatização precisam sem avaliados, pois eles podem estar na raiz dos trágicos acontecimentos maranhenses:

“A terceirização nos presídios é apontada pelo sindicato dos agentes penitenciários e pela oposição como uma das causas da barbárie no sistema carcerário do Maranhão.

Responsável por fornecer os guardas que fazem a segurança armada dos presídios, a Atlântica recebeu, em 2013, R$ 7,6 milhões da Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap). Um ano antes, o valor era exatamente a metade: R$ 3,8 milhões. Ano passado, a Atlântica também tinha contratos com outros quatro órgãos estaduais e recebeu no total R$ 12,9 milhões do governo maranhense.”

Veja matéria aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais, Privatização. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s