Reformadores e base nacional: personagens – II

Outra frente de reformadores empresariais interessada em definir políticas públicas educacionais pode ser encontrada no INSPER – uma escola de administração, economia e negócios de São Paulo – cuja composição do Conselho Deliberativo é a seguinte: 

Claudio Haddad é Presidente do Conselho Deliberativo do Insper, e presidente do Conselho do Grupo Ibmec S.A., Membro do Conselho de Administração da BM&FBovespa, da Ideal Invest S.A., do Instituto Unibanco e do Hospital Israelita Albert Einstein. Presidente do Conselho do Brazil Harvard Office, do David Rockefeller Center for Latin American Studies.

Fabio Barbosa, que deixou a Fundação Civita na Abril S.A. em 2015 e veio para o INSPER. Antes, foi presidente do ABN Amro Real desde 1996 e, em 2008, com a aquisição do Banco Real pelo Santander, tornou-se presidente do Santander Brasil. De 2007 a 2011, foi também presidente da Febraban. Atualmente, é presidente do conselho da Fundação Osesp, é membro do conselho da UN Foundation, para apoio a ONU e promoção da cooperação internacional, membro do conselho do Insper, do Itaú-Unibanco, do Instituto Empreender Endeavor e do Instituto Ayrton Senna, dentre outros.

João Fernando Gomes de Oliveira Presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPI) e diretor da Academia Brasileira de Ciências. Atualmente ocupa o cargo de diretor presidente da EMBRAPII – Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial e é Vice Presidente da Academia Brasileira de Ciências. Possui graduação, doutorado e livre docência em Engenharia Mecânica pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado pela University of California – Berkeley. É professor titular da Escola de Engenharia de São Carlos da USP, fellow da International Academy for Production Engineering – CIRP e Pesquisador 1A do CNPq.

Luís Norberto Pascoal, empresário, é chairman da DPaschoal, empresa no setor automotivo, e da DPK, com 17 centros de distribuição de acessórios e autopeças no Brasil; além da Daterra Atividades Rurais, e do Technopark, empreendimento imobiliário cujas áreas são destinadas à instalação de empresas e indústrias. Membro ativo da comunidade, Pascoal atua no conselho de diversas entidades, incluindo a Fundação Educar DPaschoal, Federação das Entidades Assistenciais de Campinas (FEAC), Instituto WCF-Brasil e Insper. É diretor da comissão de relações institucionais do Compromisso Todos pela Educação e vice-presidente do Faça Parte – Instituto Brasil Voluntário, organização que se formou em 2001 para coordenar as atividades do Ano Internacional do Voluntário da ONU – Organização das Nações Unidas. Técnico em Mecânica e Desenho Industrial e em Administração de Empresas, participou de vários programas de liderança empresarial, dentre eles o OPM – Owner/President Management Program – da Harvard Business School.

Maurizio Mauro é professor do Insper na disciplina de Liderança e presidente da Comissão Externa de Avaliação (CEA). Foi presidente executivo da Abril S.A. e de suas subsidiárias nos segmentos de publicação de revistas – Editora Abril, publicação de livros/texto escolares – Editoras Ática e Scipione, serviços de televisão por assinatura – TVA e canais segmentados de televisão aberta – MTV (de 2001 a 2006. Como sócio sênior da Booz Allen e Hamilton, onde esteve por 14 anos, foi seu presidente no Brasil. Serviu até 2015 como membro do conselho de administração da Tecnisa S.A., Dufry A.G., Banco Pine S.A., Esporte Interativo/Topsports, Mixer Produções Cinematográficas Ltda., e T4F. Participa do Insead Brazil National Council.

Michael Edgar Perlman é Conselheiro do Insper, Digipix, Universidade de Tel Aviv. Membro do Global Advisory Council da London Business School, Fellow Commoner, Christs College, Cambridge e vice-presidente do conselho do IBMEC Educacional.

Paulo Cunha é Presidente do conselho de administração do Grupo Ultra. Formou-se em Engenharia Industrial na PUC-Rio, em 1962. Foi membro do CMN – Conselho Monetário Nacional, de 1991 a 1994, e presidente do conselho orientador do IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas, de 2008 a 2013. Atualmente, ocupa o cargo de presidente do conselho de administração do grupo Ultra e é conselheiro em várias entidades.

Pedro Moreira Salles é graduado em Economia e História pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles. Cursou o programa de mestrado em Relações Internacionais da Universidade de Yale e o Owners / President Management Program, da Universidade de Harvard. Atualmente é presidente do conselho de administração do Itaú Unibanco Holding, sócio e co-presidente da Cambuhy Investimentos, conselheiro da TOTVS e membro do conselho de administração da Falconi Consultores Associados.

Este grupo de empresários é atualmente liderado no INSPER por Marcos de Barros Lisboa que foi secretário de política econômica do governo Lula na época de Palocci. Sua passagem pelo governo não se deve a nenhuma proximidade ideológica com a esquerda.

Todos devem se lembrar quando Palocci assumiu o Ministério da Fazenda logo no primeiro governo de Lula. Em abril daquele mesmo ano, divulgou um documento que colocava o governo Lula no espectro da centro-direita no campo da economia, retomando teses do consenso de Washington II, ou seja, a focalização da pobreza. Maria da Conceição Tavares reagiu à época a estas e outras propostas contidas no documento com veemência e depois foi contida sob o argumento de que não era interessante desestabilizar o governo Lula com críticas de dentro. Retirou-se de cena. Marcos trabalhava com Palocci.

Marcos de Barros Lisboa é presidente do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper). Economista, também é mestre em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Ph.D. em Economia pela University of Pennsylvania. Foi professor-assistente na Stanford University e professor-assistente da EPGE/FGV. Foi diretor-executivo do Unibanco, diretor-executivo do Itaú-Unibanco e vice-presidente do Itaú-Unibanco.

Todos estes ilustres profissionais são, é claro, competentes em seus campos de trabalho e fazem sentido para uma escola que pretende ensinar a ter competência nos negócios. São experientes na matéria. Aqui não se trata de nada pessoal.

No entanto, observa-se que tais profissionais não têm trajetória alguma nas questões educacionais e muito menos formação para tal. O que não faz sentido, portanto, é pretenderem orientar política pública de uma área na qual não têm nenhuma atuação significativa.

Na verdade o que estes empresários propõem é algo mais orgânico, mais conceitual e ideológico.

Continua.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Links para pesquisas, Meritocracia, Patria Educadora, Privatização, Responsabilização/accountability e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para Reformadores e base nacional: personagens – II

  1. Fabrício disse:

    Escola pública, gestão privada – http://m.oglobo.globo.com/sociedade/educacao/escola-publica-gestao-privada-16969768?

    Pará adotará o modelo de escolas charters.

  2. Obrigado Fabrício pelo endereço. Já estou divulgando.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s