Reformadores e base nacional: personagens – II

Outra frente de reformadores empresariais interessada em definir políticas públicas educacionais pode ser encontrada no INSPER – uma escola de administração, economia e negócios de São Paulo – cuja composição do Conselho Deliberativo é a seguinte: 

Claudio Haddad é Presidente do Conselho Deliberativo do Insper, e presidente do Conselho do Grupo Ibmec S.A., Membro do Conselho de Administração da BM&FBovespa, da Ideal Invest S.A., do Instituto Unibanco e do Hospital Israelita Albert Einstein. Presidente do Conselho do Brazil Harvard Office, do David Rockefeller Center for Latin American Studies.

Fabio Barbosa, que deixou a Fundação Civita na Abril S.A. em 2015 e veio para o INSPER. Antes, foi presidente do ABN Amro Real desde 1996 e, em 2008, com a aquisição do Banco Real pelo Santander, tornou-se presidente do Santander Brasil. De 2007 a 2011, foi também presidente da Febraban. Atualmente, é presidente do conselho da Fundação Osesp, é membro do conselho da UN Foundation, para apoio a ONU e promoção da cooperação internacional, membro do conselho do Insper, do Itaú-Unibanco, do Instituto Empreender Endeavor e do Instituto Ayrton Senna, dentre outros.

João Fernando Gomes de Oliveira Presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPI) e diretor da Academia Brasileira de Ciências. Atualmente ocupa o cargo de diretor presidente da EMBRAPII – Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial e é Vice Presidente da Academia Brasileira de Ciências. Possui graduação, doutorado e livre docência em Engenharia Mecânica pela Universidade de São Paulo e pós-doutorado pela University of California – Berkeley. É professor titular da Escola de Engenharia de São Carlos da USP, fellow da International Academy for Production Engineering – CIRP e Pesquisador 1A do CNPq.

Luís Norberto Pascoal, empresário, é chairman da DPaschoal, empresa no setor automotivo, e da DPK, com 17 centros de distribuição de acessórios e autopeças no Brasil; além da Daterra Atividades Rurais, e do Technopark, empreendimento imobiliário cujas áreas são destinadas à instalação de empresas e indústrias. Membro ativo da comunidade, Pascoal atua no conselho de diversas entidades, incluindo a Fundação Educar DPaschoal, Federação das Entidades Assistenciais de Campinas (FEAC), Instituto WCF-Brasil e Insper. É diretor da comissão de relações institucionais do Compromisso Todos pela Educação e vice-presidente do Faça Parte – Instituto Brasil Voluntário, organização que se formou em 2001 para coordenar as atividades do Ano Internacional do Voluntário da ONU – Organização das Nações Unidas. Técnico em Mecânica e Desenho Industrial e em Administração de Empresas, participou de vários programas de liderança empresarial, dentre eles o OPM – Owner/President Management Program – da Harvard Business School.

Maurizio Mauro é professor do Insper na disciplina de Liderança e presidente da Comissão Externa de Avaliação (CEA). Foi presidente executivo da Abril S.A. e de suas subsidiárias nos segmentos de publicação de revistas – Editora Abril, publicação de livros/texto escolares – Editoras Ática e Scipione, serviços de televisão por assinatura – TVA e canais segmentados de televisão aberta – MTV (de 2001 a 2006. Como sócio sênior da Booz Allen e Hamilton, onde esteve por 14 anos, foi seu presidente no Brasil. Serviu até 2015 como membro do conselho de administração da Tecnisa S.A., Dufry A.G., Banco Pine S.A., Esporte Interativo/Topsports, Mixer Produções Cinematográficas Ltda., e T4F. Participa do Insead Brazil National Council.

Michael Edgar Perlman é Conselheiro do Insper, Digipix, Universidade de Tel Aviv. Membro do Global Advisory Council da London Business School, Fellow Commoner, Christs College, Cambridge e vice-presidente do conselho do IBMEC Educacional.

Paulo Cunha é Presidente do conselho de administração do Grupo Ultra. Formou-se em Engenharia Industrial na PUC-Rio, em 1962. Foi membro do CMN – Conselho Monetário Nacional, de 1991 a 1994, e presidente do conselho orientador do IPT – Instituto de Pesquisas Tecnológicas, de 2008 a 2013. Atualmente, ocupa o cargo de presidente do conselho de administração do grupo Ultra e é conselheiro em várias entidades.

Pedro Moreira Salles é graduado em Economia e História pela Universidade da Califórnia, em Los Angeles. Cursou o programa de mestrado em Relações Internacionais da Universidade de Yale e o Owners / President Management Program, da Universidade de Harvard. Atualmente é presidente do conselho de administração do Itaú Unibanco Holding, sócio e co-presidente da Cambuhy Investimentos, conselheiro da TOTVS e membro do conselho de administração da Falconi Consultores Associados.

Este grupo de empresários é atualmente liderado no INSPER por Marcos de Barros Lisboa que foi secretário de política econômica do governo Lula na época de Palocci. Sua passagem pelo governo não se deve a nenhuma proximidade ideológica com a esquerda.

Todos devem se lembrar quando Palocci assumiu o Ministério da Fazenda logo no primeiro governo de Lula. Em abril daquele mesmo ano, divulgou um documento que colocava o governo Lula no espectro da centro-direita no campo da economia, retomando teses do consenso de Washington II, ou seja, a focalização da pobreza. Maria da Conceição Tavares reagiu à época a estas e outras propostas contidas no documento com veemência e depois foi contida sob o argumento de que não era interessante desestabilizar o governo Lula com críticas de dentro. Retirou-se de cena. Marcos trabalhava com Palocci.

Marcos de Barros Lisboa é presidente do Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper). Economista, também é mestre em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Ph.D. em Economia pela University of Pennsylvania. Foi professor-assistente na Stanford University e professor-assistente da EPGE/FGV. Foi diretor-executivo do Unibanco, diretor-executivo do Itaú-Unibanco e vice-presidente do Itaú-Unibanco.

Todos estes ilustres profissionais são, é claro, competentes em seus campos de trabalho e fazem sentido para uma escola que pretende ensinar a ter competência nos negócios. São experientes na matéria. Aqui não se trata de nada pessoal.

No entanto, observa-se que tais profissionais não têm trajetória alguma nas questões educacionais e muito menos formação para tal. O que não faz sentido, portanto, é pretenderem orientar política pública de uma área na qual não têm nenhuma atuação significativa.

Na verdade o que estes empresários propõem é algo mais orgânico, mais conceitual e ideológico.

Continua.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Links para pesquisas, Meritocracia, Patria Educadora, Privatização, Responsabilização/accountability e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para Reformadores e base nacional: personagens – II

  1. Fabrício disse:

    Escola pública, gestão privada – http://m.oglobo.globo.com/sociedade/educacao/escola-publica-gestao-privada-16969768?

    Pará adotará o modelo de escolas charters.

  2. Obrigado Fabrício pelo endereço. Já estou divulgando.

Deixe uma resposta para Luiz Carlos de Freitas Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s