Espanha: revolta dos pais contra avaliação

“Para as famílias, é contraditório que o Conselho aprove que “nenhum aluno sairá prejudicado da pandemia” e ao mesmo tempo, dê luz verde para a avaliação dos conteúdos.

“Falha o tom, o discurso e o tipo de propostas”, lamenta Fernando Trujillo, professor de Educação da Universidade de Granada, sobe o informe do Conselho. “Basta olhar para o primeiro parágrafo do documento: aparecem as palavras, tarefas, aproveitamento, eficácia, mas não bem-estar e nem desenvolvimento integral dos estudantes… é uma visão muito industrial da educação”, diz. Como outros docentes, Trujillo acredita que o Conselho se mostrou “impassível” com a grave situação de emergência sanitária que o país vive.”

Leia aqui no El País.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s