Terceirização e vouchers fracassam em Ohio

Recentemente, a Fordham, promotora da política de privatização das escolas públicas nos Estados Unidos, publicou um relatório que tenta mostrar a superioridade das privatizadas. A imprensa repercutiu:

“Um novo relatório mostra que muitos alunos de Ohio que frequentavam escolas charter tiveram ganhos maiores em testes de desempenho, melhor frequência e menos incidentes disciplinares em comparação com seus colegas matriculados em escolas públicas convencionais.”

Leia aqui.

No entanto, Diane Ravitch informa que:

“ (…) Stephen Dyer revisou o relatório e concluiu que suas descobertas são baseadas em escolas que foram selecionadas e em manipulação de dados. Na verdade, ele escreve, o setor de terceirização de Ohio continua a ter baixo desempenho em comparação com as escolas públicas do estado, cujos alunos perdem financiamento para as terceirizadas. O estado recentemente tirou quase US $ 900 milhões anuais de suas escolas públicas para pagar por um setor de terceirizadas medíocre.”

Leia mais aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Escolas Charters, Links para pesquisas, MEC sob Bolsonaro, Meritocracia, Pastor Milton no MEC, Privatização, Responsabilização/accountability, Segregação/exclusão, Vouchers e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s