Sobre “Claudios” e “Vejas”

O artigo de Claudio Moura Castro na Veja, destilando de novo seus dogmas de fé sem evidência empírica nenhuma, é típico da aliança que cada vez mais existirá no país entre parte da grande mídia e certas ideias que atendem aos empresários educacionais que estão de olho nos processos de privatização da educação em curso no país. É o lobby da desinformação. Serão muitos os “claudios” e “vejas” que “florescerão” na grande mídia.

Não há que se esquecer que por trás da desinformação, não raramente, encontram-se corporações educacionais ávidas para transformar a educação em um grande mercado lucrativo. Hoje é uma matéria sobre o “professor”, amanhã sobre “escolas charters”, depois sobre o papel nefasto dos “sindicatos”, e assim prosseguirá ao longo de toda a agenda dos reformadores empresariais da educação, deturpando e omitindo fatos. Não há nada de diferente se examinamos o papel de uma parte da mídia americana que igualmente, ao longo dos últimos 30 anos, fez o mesmo papel naquele país.

Esta junção de mídias com a reforma empresarial, não tem nada a ver com “informação” ou com “má informação”, como diria Shawgi Tell, é pura “desinformação”, mesmo. Os veículos da mídia foram feitos, em tese, para informar, mas admite-se que possam errar e passar uma má informação. Neste caso, é um erro de boa fé, por ter interpretado errado um dado, ou deixado de veicular todos os lados de um mesmo problema. Mas, no caso em questão, não se trata disso: trata-se de “desinformação” destinada a criar agenda pública.

Desinformação é o uso de informação com a intenção de produzir uma visão equivocada de um assunto ou tema. Desinformação é a distribuição intencional de informação parcial, viesada, manipulada, desenhada para mistificar o contexto real das coisas a ponto de confundir as pessoas e colocá-las em uma posição vulnerável ante certas ideias infundadas, que são de interesse daquele que as difunde, ocultando sabidos fatos, de forma a produzir incompreensões e até danos às pessoas ou ao país. Quanto se usou disso no debate sobre o câncer causado pelo cigarro. O lobby do cigarro, que associou uma parte da mídia e as corporações do fumo, viabilizou a desgraça de milhões, e ao mesmo tempo, viabilizou milhões de dólares para outros.

Para combater esta desinformação, é preciso estimular a mídia informal, que circula nas redes sociais abertas, e que está fora de controle das grandes corporações midiáticas. Um destes instrumentos, são os Blogs independentes. A desinformação veiculada na grande mídia não pode ser combatida diretamente nela, pois é destinada a confundir e já nasce sem compromisso com a verdade.

Seus autores (os candidatos a “acadêmicos” são os piores) nutrem-se exatamente da reação irada das pessoas que se erguem contra a sua “desinformação”. Promovem-na com o propósito de gerar tal reação, pois é isso que os fortalece nos círculos internos de poder, onde passam a ser considerados “destemidos” e “fiéis”. Quanto mais são criticados, mais se avassalam a tais ideias e mais acumulam poder, em um circuito interminável. De quebra, constroem agendas públicas de interesse das corporações, promovem falsos dilemas e influenciam sua solução a partir da desisformação.

Portanto, o que precisamos é que o leitor brasileiro amadureça e se torne mais seletivo e mais crítico sobre a informações ou desinformações que chegam a ele todos os dias nas grandes redes midiáticas. Neste processo, democratizar os dados dos estudos e pesquisas, em especial aqueles que mostram o lado contrário que é ocultado pela grande mídia, é de grande relevância para a formação da opinião pública.

Esta é a melhor forma de se combater os “Claudios” e as “Vejas”.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais, Meritocracia, Privatização e marcado , . Guardar link permanente.

5 respostas para Sobre “Claudios” e “Vejas”

  1. Heloisa Salles Gentil disse:

    Ainda temos muito que aprender sobre esse processo de desinformação. A indignação nos move quando sabemos quanto de inverdade está contida em discursos deste e de outros claudios e, na ânsia de desmascara- los, acabamos por entrar no jogo e fazê los mais lidos… tem raZão o professor Freitas:usemos a mídia alternativa e apresentamos informações e opiniões, contra as inverdades construídas intencionalmente.

  2. Pingback: Sobre “Claudios” e “Vejas” | Blog do Pensar a Educação

  3. Pingback: Sobre “Claudios” e “Vejas” — AVALIAÇÃO EDUCACIONAL – Blog do Freitas – Jean Magno

  4. Se o que há em curso fosse uma migração de alunos das escolas públicas para as privadas (sem trocadilho) seria menos nefasto. Mas, na verdade, graças à grande inequidade existente na distribuição de renda no país, todo esse movimento passa a significar o retorno de grande parte da população ao analfabetismo real (não apenas politico) e dabexclusao social. Em outras palavras, desceremos vários degraus sociais galgados, talvez agora com impulso para chegar muito além do térreo.

  5. Raimundo Marques disse:

    O que nos deixa ainda em situação frágil, é vermos colegas professores fazendo coro aos Cláudius. Infelizmente não são poucos que se deixam levar por esses articulistas dessa mídia tendenciosa e perniciosa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s