SP: disputando a liderança

Secretaria de Educação do Estado de São Paulo dá início a novo programa de capacitação de líderes escolares pela Aliança Brasileira pela Educação, sob controle da empresa Kroton.

Assista aqui a vídeo de lançamento.

“A abertura do lançamento da Aliança foi marcada pela apresentação de ginástica rítmica do Grupo Unopar e participação musical de Serginho Meriti e Rodrigo Leite. O evento foi aberto aos dirigentes regionais, diretores e supervisores das escolas, que vão receber formação dos profissionais da Kroton nos próximos meses.

“É muito bom começarmos com os diretores, porque um bom diretor é a alma da escola e essas boas escolas existem em grande número em nosso estado”, disse o secretário de estado da Educação, José Renato Nalini.

O programa tem a proposta de atuar capacitando diretores das redes públicas por meio de encontros sistemáticos mensais. Em São Paulo, estão previstos encontros em três polos, com início em 21 de setembro, na Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Professores (EFAP).  A iniciativa é um projeto voluntário, portanto, sem custos para a rede, fruto do esforço colaborativo entre todos os segmentos da sociedade – Governo, empresas e fundações.

O presidente da Kroton, Rodrigo Galindo, explica que estas ações já são aplicadas em outro estado há pelo menos dez anos, com as atividades executadas pela “Conspiração Mineira Pela Educação”. “A Aliança surge de um crescimento natural das atividades de responsabilidade social feitas pela Kroton, no sentido de tentar devolver um pouco do que a sociedade entrega a ela como empresa”, destacou.

Convidado do evento, o supervisor de ensino da DE Centro Oeste, Flavio Galera destaca a importância da capacitação dos líderes e o impacto que isso tem dentro da sala de aula. “Sem uma liderança que motive os professores no desenvolvimento do projeto pedagógico é muito difícil que coisas boas aconteçam. Esta ação nos gera uma grande expectativa de que coisas positivas chegarão até as escolas e essa parceria do poder público com o terceiro setor é fundamental nesse processo”, disse.”

A atuação da Aliança começa na capital paulista, na parceria feita com a Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, e seguirá para os demais estados e municípios de forma gradativa, de acordo com as localidades mais vulneráveis, levando em consideração o cenário econômico e social. Inicialmente, serão criados 6 grupos de trabalho em São Paulo, abrangendo 300 escolas e beneficiando cerca de 300 mil alunos.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais, Privatização. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s