SP: mais uma ideia “brilhante”

O arsenal de “métodos” da reforma empresarial da educação é infindável. A ONG Parceiros da Educação (organização empresarial que atua na área da educação) desenvolveu para a rede pública estadual de São Paulo um método científico de administração de desempenho das escolas que as conduzirá ao sucesso – e que se denomina Método de Melhoria de Resultados – MMR.

A ideia que o alimenta é a mesma, no fundo, que alimentava as iniciativas empresariais destinadas a introduzir melhorias na produção fabril e que se chamava “espinha de peixe”. É algo mais modesto, mas que visa organizar diagnóstico, identificação do problema, atuação corretiva da escola e melhoria – a título de dar “transparência ao processo”. Vem embalada com uma roupagem democrática de “transparência” mais “participação da comunidade”.

Leia mais aqui.

A análise não incluir a disponibilidade de recursos da escola. Francisco Soares também critica esta ausência, mas isso é um detalhe. O fato é que a proposta tem uma concepção equivocada na base: a ideia de que o fracasso da criança se deve a uma falta de conhecimento e atuação científica da escola sobre seus problemas, como se tudo pudesse ser resolvido entre os atores da escola dotados, agora, de método científico de análise.

Professores, alunos e demais atores da escola sabem muito bem o que está mal na escola, não precisam de métodos específicos para tal. Para ter bom resultado, tal método deveria colocar na mão de seu conselho escolar a gestão da melhoria com poderes para não só encontrar o que vai mal, mas demandar do Estado os devidos resultados necessários para atender a melhorias desejadas na escola e no desempenho do aluno- em um sentido bilateral. Mas aí o Estado vai pular fora.

A questão não é só identificar problemas e demandar dos atores da escola. Uma vez identificados existem os que não estão sobre controle da escola (mais de 50% no caso de desempenho do estudante) e existem os que estão sob responsabilidade do próprio Estado resolver e ele não o faz. Há ainda os que dependem de outras Secretarias Estaduais para serem resolvidos articuladamente. Sem que isso seja colocado na “mesa da escola”, fica inviável realizar planos de melhoria. Mas, para o empresariado, tudo é uma questão de “vontade” a ser induzida por um método de cobrança de resultados e consequências.

Novamente aqui há um equívoco conceitual, ou seja, o de que a melhoria da escola é uma questão de empenho dos atores, apesar das condições não serem adequadas. Para alguns defensores da reforma empresarial, estas tais condições não passam de “desculpas” para justificar a falta de empenho da escola.

Deve-se agregar ainda que existem situações outras crônicas que o Estado não resolveu: professores horistas que não podem se dedicar a pensar os problemas da escola; professores sobrecarregados de aulas que não têm espaço para organizar-se coletivamente e cuidar daquela parte dos problemas que se referem à escola e outros mais.

Estes métodos são adequados para situações em que a organização tem controle dos resultados e dos recursos envolvidos. Não é o caso da escola.

Mas, enfim, Alckmin precisa fazer alguma coisa para acalmar os abutres que vivem rondando a Secretaria de Educação com suas ideias milagrosas.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Meritocracia, Privatização, Responsabilização/accountability e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para SP: mais uma ideia “brilhante”

  1. Adriana T. Reis disse:

    Preocupante o final do artigo quando o secretário não aponta recursos da secretaria para esse projeto, sendo custeado pela ONG Parceiros da Educação. Qual será a moeda de troca? Empresário brasileiro não atua sem pretensões particulares!

Deixe uma resposta para Adriana T. Reis Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s