Espírito Santo: formando professores em 5 semanas

Há algum tempo ronda o Brasil e a América Latina a tentação (e desastre) que assolou a educação americana com a Teach for America, agora no Brasil como Ensina Brasil. O Espírito Santo acaba de contratar esta empresa para formar professores em cinco semanas – em um curso de verão em Janeiro de 2018 – sendo que uma delas é à distância. O compromisso é de ficar no posto por dois anos.

EspiritoSanto

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Privatização, Responsabilização/accountability e marcado , , . Guardar link permanente.

12 respostas para Espírito Santo: formando professores em 5 semanas

  1. Mário Rocha disse:

    Acho que vou parar de ler seu blog… só tem desgraça sobre a educação… É utopia ter uma educação de qualidade em nosso país?

  2. Tiago disse:

    Todos/as professores/as deveriam ver o que este [des]governo de PH está fazendo com a Educação também. Saúde péssima, Segurança Pública sem rumo e Educação Pública vendida para empresas tem o capital como o.mais importante. O aprendizado de qualidade fica pra bem depois. Como podemos querer uma Educação Pública, Democrática, Emancipatória, Inclusiva com “professores” sendo formados em um curso de verão.

  3. Rita Layber disse:

    Absurdo! Quero ver voltar o Magistério no Ensino Médio

  4. Ju disse:

    Gente esse curso é mais precisamente uma formação continuada…pois é preciso ter curso de graduação em nível superior reconhecido pelo MEC.Não é qualquer pessoa com qualquer escolaridade q pode se inscrever no programa.

  5. panageo disse:

    Você está equivocado. Eu estou inscrito nesse programa. Ele exige que o candidato seja formando, repito, já no último ano da faculdade, e a ação funciona como um curso de aperfeiçoamento APÓS a conclusão da faculdade. Você se valeu da publicação generalizada do Diário apenas, mas não foi se informar no Programa. Erro crasso. Sua reportagem está errada.

    • Errado Panageo. Uma coisa é ser formado em bacharelado de química, física, etc. Outra em Licenciatura em química, física, etc. São cursos independentes. Para dar aulas, deveria ter formado em Licenciatura em Química. Se tivessem a licenciatura, não precisariam ir para a Ensina Brasil. Deve ser o seu caso. Pois poderiam dar aulas nas redes sem isso.
      Abraço
      Luiz

      • Ana disse:

        Exatamente, Prof. Freitas. Muito diferente ser graduado no bacharelado de ser graduado na licenciatura. Toda a preparação que um formando na grade da licenciatura teve, diversas disciplinas voltadas para a educação, didática, currículo, políticas educacionais, legislação, 2 anos de estágio, PIBID, etc, condensada em 5 semanas, não pode ser equivalente, não há como. Erro crasso é achar que não faz diferença. Estou na minha segunda graduação, agora numa licenciatura, e há muita diferença na formação, no que é exigido de nós, na licenciatura, em comparação ao que é cobrado dos colegas do bacharelado.

      • panageo disse:

        Não é meu caso, eu estou concluindo a licenciatura e comparto da ideia que a verdadeira formação no ensino está na sala de aula. Até meu desempenho é superior que meus colegas pois dou aulas desde o primeiro ano de faculdade. A parte pedagógica da faculdade é altamente teórica e filosófica, desprovida de atividade prática, com um estágio insuficiente, matérias utópicas e desconectadas com a realidade. Não sou fã da Fundação Lemann, mas essa iniciativa é muito boa, pois proporciona formação na prática e auxilia na diminuição do déficit de formação de professores, tanto qualitativa quanto quantitativamente.

      • Ana disse:

        Panageo, como é que você dá aulas desde o primeiro ano da faculdade, sem ser graduado? Não entendi. É um estágio? As matérias ‘utópicas’, teóricas ou filosóficas servem para exercitar o pensamento, a capacidade de interpretar a realidade, de questionar, de produzir pensamento sobre o que se vive. Isso você tem que pensar para incorporar nas suas aulas e nas suas práticas como professor. Não vem pronto. Mas se você separa teoria e prática dessa maneira não vai tirar proveito delas mesmo. A formação em sala de aula é fundamental, como disse, e você irá para o curso de 5 semanas já tendo experimentado isso por anos. Mas a maioria será de bacharéis que nunca entraram em sala de aula como professores. Esse é o público alvo do curso. Você acha que em 5 semanas ganharão um preparo maior do que um licenciado? Aliás, se você já está concluindo a licenciatura qual o sentido em fazer esse curso, uma vez que assim que formado poderá dar aulas? Muito estranho, pois não se trata de curso de aperfeiçoamento, mas de uma licença para ensinar obtida em 5 semanas. Já fracassou nos EUA, existem inúmeros dados sobre isso. Ao invés de se melhorar a licenciatura vão em busca de soluções mágicas, sempre vendidas pelos mesmos grupos e gestores. Muito dinheiro se fez e ainda se fará com essas polishops da educação.

  6. Vanessa Faria disse:

    Que horror! O MT também firmou parceria com essa tal de Ensina Brasil. Um desastre….

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s