NEPC: dois relatórios sobre vouchers não resistem à crítica

Escolha da Escola (voucher) Erroneamente Proposta como forma de Promover o Desenvolvimento Econômico

Os relatórios oferecem pouco apoio para o uso de escolha da escola (vouchers) para estimular a renovação urbana

BOULDER, CO (20 de junho de 2017) – EdChoice e o American Enterprise Institute lançaram recentemente, cada um deles, um relatório afirmando que a introdução da escolha da escola (vouchers) pode promover o desenvolvimento econômico em áreas urbanas economicamente problemáticas. O primeiro relatório apresenta um estudo de caso de uma escola charter que, de acordo com o relatório, contribuiu para o desenvolvimento econômico da cidade de Santa Ana, Califórnia. O segundo relatório apresenta uma proposta para um hipotético programa de vouchers que, se implementado, supostamente estimularia o desenvolvimento econômico em bairros de alta pobreza, atraindo famílias de renda mais alta para esses bairros.

Jennifer Jellison Holme e Emily Germain da Universidade do Texas em Austin revisaram os dois relatórios.

Os revisores encontraram que ambos os relatórios fazem afirmações que se apoiam em lógicas e dados falhos. A principal fraqueza do relatório do EdChoice é que não consegue coletar e analisar dados relacionados à relação causal do relatório, ou seja, que o desenvolvimento econômico em Santa Ana resultou do estabelecimento da escola charter. Ambos os relatórios também negligenciam importantes aspectos da literatura de pesquisa. Em particular, as afirmações do relatório do American Enterprise Institute sobre os benefícios do programa proposto para financiar publicamente a educação privada não são suportadas pela pesquisa existente.

Os avaliadores também apontam que ambos os relatórios adotam uma explicação a-histórica para a segregação racial e econômica que é sustentada pela teoria econômica de mercado e ignoram amplamente o papel que a política governamental desempenhou na engenharia de deslocamento da classe média branca para a subúrbios e a pobreza persistente nos centros urbanos.

Os revisores concluem que esses relatórios oferecem pouca orientação útil para políticas ou práticas para aqueles que procuram reformar escolas urbanas, para apoiar alunos de baixa renda ou para elevar os bairros urbanos. As soluções propostas pelos relatórios, que dependem fortemente dos mercados e da teoria econômica, não são apenas imperfeitas, mas ameaçam exacerbar as desigualdades educacionais e geográficas que existem.

Encontre aqui a revisão de Jennifer Jellison Holme e Emily Germain.

Encontre aqui o relatório do EdChoiceRenewing Our Cities: A Case Study on School Choice’s Role in Urban Renewal, por Bartley R. Danielsen, David M. Harrison e Jing Zhao.

Encontre aqui o relatório do American Enterprise InstituteCPR Scholarships: Using Private School Choice to Attack Concentrated Poverty, Crime, and Unemployment.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Escolas Charters, Segregação/exclusão, Vouchers e marcado , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s