Cafardo: a “eficácia” do homeschooling

Tal como os reformadores empresariais, os adeptos do homeschooling (escola em casa) costumam citar “estudos” que atestam a superioridade dos jovens que estudam em casa, frente aos jovens que vão para a escola. Mas isso está longe de ser uma tendência. Como revela Renata Cafardo:

 “Mas, segundo especialistas no tema, os resultados não são confiáveis por causa da amostra. Os alunos participantes foram voluntários chamados pelas organizações de defesa do ensino domiciliar, de acordo com o International Center of Home Education Research, um grupo dos Estados Unidos que reúne pesquisadores do assunto. Em geral, quem estudou em casa e teve sua nota analisada era branco, mais rico e mais educado que a média dos estudantes.”

Leia aqui.

Os estudos ignoram exatamente uma das variáveis mais importantes na educação: o nível sócio-econômico das crianças. Boa parte destes argumentos encobrem os desejos dos neoliberais em destruir o Estado e suas instituições e encobrem os desejos dos conservadores em garantir que as crianças não se exponham a outras visões que não as autorizadas pelos pais.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Homeschooling, Links para pesquisas, Velez no Ministério e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s