Fundação Fordham divulga relatório falho

Postado originalmente na UOl em 21//03/2012

Questões de Revisão do Relatório que Promove New Orleans como Escola Modelo da Reforma

Contato: William J. Mathis, (802) 282-0058, wmathis@sover.net; Kristen L. Buras (404) 413-8030, kburas@gsu.edu

URL para este comunicado de imprensa: http://tinyurl.com/78flp7v

Boulder, CO (20 de março de 2012) – Em seu relatório, A Recuperação do Distrito Escolar de Louisiana: Lições para o Estado “Buckeye”, o Instituto Thomas B. Fordham critica as estruturas de governança local urbanas e apresenta o modelo descentrazidado impulsionado pela Recovery School District (RSD) baseado em escolas charters [escolas administradas por concessão] em Nova Orleans, como um modelo de sucesso para o desempenho fiscal e acadêmico.

Revendo o relatório para o Think Twice think tank, Kristen Buras da Georgia State University, escreve que o relatório ignora a história diferenciada de Nova Orleans e não apresenta evidências para suas alegações

A revisão é publicada pelo National Education Policy Center da Universidade de Colorado, Boulder, Faculdade de Educação.

Buras, um nativo de New Orleans, é co-autor do livro Pedagogy, Policy, and the Privatized City: Stories of Dispossession and Defiance from New Orleans. Sua pesquisa sobre a reforma educacional em Nova Orleans foi publicada na Harvard Educational Review and Race Ethnicity and Education e em livros editados tais como Schooling and the Politics of Disaster and The Assault on Public Education.

Em sua revisão, Buras afirma que o relatório da Fordham, que é escrito por Nelson Smith, não menciona nada sobre o sub-financiamento crônico e a história racial das escolas públicas de Nova Orleans antes do furacão Katrina. Não há evidência de que uma conversão para escolas charter poderia solucionar esses problemas.

O relatório também interpreta mal os dados de desempenho ao afirmar o sucesso da RSD, quando os ganhos reclamados podem ser simplesmente uma função de mudança nos padrões dos teste. O relatório elogia a substituição de professores seniores por novos professores não preparados da forma tradicional, mas não fornece nenhuma evidência da eficácia desta prática.

Além disso, o relatório reivindica apoio público para as reformas, Buras escreve, ainda sobre outros indicadores que revelam sérias preocupações sobre o acesso, a equidade, desempenho e responsabilização.

“Em última análise, o relatório é uma defesa polêmica da remoção da governança pública e a substituição das escolas públicas por redes de escolas charter operadas privadamente”, Buras conclui. “É escasso em dados e gordo em reivindicações e deve ser lido com muita cautela pelos formuladores de políticas em Ohio e em outros lugares.”

Encontrar revisão Kristen Buras no site do NEPC em:

http://nepc.colorado.edu/thinktank/review-louisiana-recovery-buckeye~~V .

Encontrar A Recuperação de Louisiana School District: Lições para o Estado Buckeye, por Nelson Smith, na Internet em:

http://www.edexcellence.net/publications/the-louisiana-recovery-school-district.html .

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Escolas Charters, Links para pesquisas, Postagens antigas da UOL, Privatização e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s