Os milagres dos reformadores empresariais da educação

Postado originalmente na Uol em 5/04/2011

O milagre do Texas revisitado

By Diane Ravitch

05 de abril de 2011

Cara Debora, tenho certeza que você lembra que quando a lei No Child Left Behind estava em discussão, houve uma grande quantidade de publicidade sobre o “Milagre do Texas.” Lembro-me de reportagens em jornais sobre as maravilhas que tinham sido realizadas pela estratégia simples de testar e responsabilizar.

Logo após a eleição de George W. Bush como presidente, soubemos que ele era o arquiteto do milagre do Texas. O milagre ocorreu devido a essa estratégia: o estado testava cada criança a cada ano entre as séries 3-8; desagregava suas pontuações por raça, etnia e outras características, publicava a pontuação e, em seguida, premiava escolas onde as pontuações subiram e envergonhava as escolas onde não havia melhora. Mirabile dictu, funciona! Ou foi o que uma imprensa crédula nos disse. Os resultados dos testes subiam, subiam as taxas de formandos, e a distância entre desempenhos começava a diminuir. Alguns estudiosos advertiram que o milagre era uma ilusão.

Continue lendo (em inglês):

http://blogs.edweek.org/edweek/Bridging-Differences/2011/04/the_texas_miracle_revisited.html

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Links para pesquisas, Postagens antigas da UOL, Responsabilização/accountability e marcado , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s