Polêmica na matriz: o desastre da meritocracia continua…

Postado originalmente na Uol em 8/02/2011

6.000 professores de 470 escolas de Los Angeles foram ranqueados por calculo de valor agregado tomando por base dados de seus alunos entre 2004 a 2009.  O estudo está de acordo com a tendência americana de usar dados de vários anos para estabelecer o ranqueamento dos professores. Chamam tais técnicas de meritocracia de segunda geração. Segundo os proponentes da metodologia, a primeira geração não funcionou porque era baseada em dados de um único ano de medição. Além disso, a recompensa era dada diretamente ao professor, enquanto a nova geração privilegia dar a recompensa para a equipe da escola a partir da tendência observada em vários anos  de medição.

Seja na sua primeira geração, seja na segunda geração, a meritocracia americana continua encontrando problemas como mostram os links abaixo. Grupos independentes de pesquisadores usando a mesma base de dados constatam equívocos no ranqueamento divulgado pelo Los Angeles Times que variam de 13,9% a 22,3%.

A reportagem inicial do Los Angeles Times está em:

http://www.latimes.com/news/local/la-me-teachers-value-20100815,0,2695044.story

O ranqueamento dos professores de Los Angeles está em:

http://projects.latimes.com/value-added/

E o estudo que mostra que o modelo de valor agregado não tem estabilidade para ranquear professores de Los Angeles, usando os mesmos dados do Los Angeles Times, está em:

http://nepc.colorado.edu/publication/due-diligence

A questão ética que estes estudos levantam é grave. O novo estudo do NEPC mostra que em leitura, há 516 professores sub-ranqueados (falso negativo) e 612 professores sobre-ranqueados (falso positivo).  Ou seja, 516 deveriam estar em uma melhor posição do que estão no ranking (falso negativo) e 612 estão acima do que deveriam estar de fato (falso positivo). Para matemática, o estudo mostra que existem 257 falsos negativos e 454 falsos positivos.

A polêmica explodiu ontem no Los Angeles Times.

Ante a tentativa do Los Angeles Times de abafar os resultados de seu duvidoso ranqueamento, o NEPC divulgou nota que pode ser lida em:

http://nepc.colorado.edu/files/FactSheet_0.pdf

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Avaliação de professores, Links para pesquisas, Meritocracia, Postagens antigas da UOL e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s