Sério demais para empresários…

Os empresários resolveram assumir a educação. Isso se deve ao fato de que no cenário atual, com o esgotamento relativo de mão de obra barata, será necessário aumentar a produtividade da mão de obra para garantir rentabilidade ao capital.

Com isso em vista, empresários se organizaram no Movimento Todos pela Educação e congêneres pelo país afora trazendo para a área educacional a ótica da administração empresarial, suas soluções, seu dinheiro e seu poder político de afetar a elaboração de políticas públicas.

Note-se que excetuando-se bilionários muito ricos, e nós não temos muitos, nenhum empresário se propõe a filantropia em tempos de crise. Sua filantropia supõe que a economia vai bem e dando muito lucro. Lógico nos perguntarmos, então, o que aconteceria com seu interesse pela educação, se houvesse uma crise de rentabilidade ou se o Brasil saísse da rota de valorização do capital por alguma injunção internacional. Não é necessário ter boa de cristal: sua filantropia vai minguar.

Ante isso, não nos parece seguro e responsável colocarmos a educação nas mãos dos empresários. Seus interesses podem mudar. Caso isso aconteça, nós educadores profissionais seremos chamados de volta para cuidar da educação. Portanto, é melhor que continuemos desde já a cuidar dela.

Nosso interesse na educação é profissional e não circunstancial. Não é compaixão dos pobres ou pseudo alegação de “direitos de aprender” que escondem os reais interesses econômicos dos empresários pela educação neste momento. A miséria não é fato novo e a exclusão dos pobres dos processos educacionais não começou ontem. No entanto, nunca incomodou empresários pois, antes, eles viviam exatamente da exploração da mão de obra barata. Foi só quando estes bolsões rarearam é que surgiu o interesse pela educação.

Portanto, a educação é algo muito sério para que seja deixada nas mãos de empresários caridosos. Seria uma irresponsabilidade educacional. A educação deve ser financiada pelo poder público e conduzida por profissionais da educação.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Responsabilização/accountability e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s