Vai vendo… vai vendo…

Um pais que acredita que as cadeias de produção locais devem se conectar com as cadeias produtivas internacionais como forma de desenvolvimento nacional, não precisa de ciência e tecnologia produzidas no país, pois também estas estão presentes nas cadeias produtivas internacionais. Por que produzir aqui, o que já está pronto nas cadeias internacionais? Quando muito, alguma capacidade adaptativa é suficiente.

Aos poucos a comunidade científica está se dando conta das finalidades do golpe. A notícia abaixo, veiculada em carta da SBPC e ABC é uma evidência disso:

“Recebemos como uma desagradável surpresa a informação de que o MCTIC, em sua reestruturação organizacional, ora em estudo, prevê deixar o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), a Agência Espacial Brasileira (AEB) e a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) subordinados a uma “Coordenação Geral de Serviços Postais e de Governança e Acompanhamento de Empresas Estatais e Entidades Vinculadas”, a qual pertencerá a uma Diretoria com a mesma nomenclatura, que, por sua vez, responderá à Secretaria Executiva do Ministério.”

Vai vendo…

Baixe a íntegra da carta aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s