As Reformas e a Autonomia Docente

“Destituído do lugar de saber, por não saberem, os professores foram, paulatinamente, destituídos também de sua autonomia. Se os saberes que valem são os “saberes dos outros”, aqueles das Escolas Normais e/ou dos especialistas (homens em sua maior parte), como atuar com certo conforto na sala de aula?”

Leia a íntegra aqui, em Pensar a Educação em Pauta.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Meritocracia, Responsabilização/accountability e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s