“JornalGGN” desvenda segredo do Ideb de Sobral

Cantada em verso e prosa como modelo, Sobral (Ceará) tem o maior Ideb do país. Nem os criadores do próprio modelo de cálculo do Ideb acreditariam nisso. Mas a grande imprensa e os arautos da reforma empresarial valem-se desse “milagre”, como costumam fazer em outros países, para justificar suas propostas igualmente milagrosas para salvar a educação brasileira.

Sobre o Ideb de Sobral já falamos outras vezes neste Blog. Mas agora, Marcos de Aguiar Villas-Bôas resolveu conferir o milagre de perto. O que encontrou pode ser lido em um artigo que pode ser encontrado aqui.

Nas palavras dele:

“Sobral se destaca por ter, de fato, realizado medidas administrativas boas, mas também por ter manipulado engenhosamente o Ideb, o que testemunham diversos educadores do própria sistema público do município e ligado a eles.

No caso da aprovação, por exemplo, diferentes professores contam que alunos bons do mesmo ou de outros anos são postos para fazer provas de alunos ruins ou doentes ou detentos, por orientação de alguns professores, que recebem, como renda variável, em torno de 500 reais a mais no salário quando a nota no Ideb é boa. Casos em que alunos recebem notas maiores do que realmente tiraram, a título de “motivação”, também são corriqueiros, conforme reforçam alguns pais de alunos, que ouviram isso em reunião entre professores, pais e alunos.

Uns acham que a Secretaria Municipal de Educação não sabe, outros acham que ela finge que não sabe desses fatos. Se este autor os descobriu em apenas três meses de pesquisa, a Prefeitura de Sobral, comandada pelo mesmo grupo há 20 anos, deveria ter conhecimento.”

O autor ainda afirma que:

“Quanto ao aprendizado, também há manipulações, segundo os educadores. Todo o programa é focado em Português e Matemática, disciplinas do Ideb, ficando as demais matérias em segundo plano ou em plano nenhum.

Um professor de História contou que recebe alunos de outra escola e pergunta quem era o professor deles antes, então eles frequentemente respondem que mal viam a disciplina, o que o deixa desacreditado e triste com o sistema.”

E por aí vai, como se sabe pelas experiências de uso da “responsabilização baseada em testes” em outros países. Qual o preço desta corrida ao Ideb que deixa a formação das crianças de Sobral quando muito restrita a português e matemática, sem o domínio das demais disciplinas?

Há muito mais no artigo. Acesse aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Ideb, Links para pesquisas, Mendonça no Ministério, Prova Brasil, Reforma e Fraudes, Responsabilização/accountability e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s