Liberalismo econômico e o fim da escola pública

Leitor envia matéria onde o chefe do Partido Republicano em um condado de Oklahoma (USA), Andrew Lopez, divulga carta defendendo o fim das escolas públicas. Para ele as escolas públicas deveriam depender de financiamentos alternativos e não de impostos. Na carta ele afirma que o estado não deve ter uma atuação na educação e sim permitir que a remuneração de professores e o próprio financiamento das escolas sejam definidos pelo livre mercado.

Leia aqui e aqui.

A posição de Andrew não foi plenamente compartilhada por outras autoridades, mas confere com o que pensa o liberalismo econômico de Milton Friedman, guru de Paulo Guedes, ministro da economia de Bolsonaro.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais, Privatização, Vouchers e marcado , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Liberalismo econômico e o fim da escola pública

  1. Pingback: Educação em debate – nº 225 – Jornal Pensar a Educação em Pauta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s