A nova Secretaria de Alfabetização do MEC

O MEC poderá ter uma nova Secretaria: a de Alfabetização. Carlos Nadalim deverá, se confirmado, ocupar esta nova Secretaria. Coordenador da Escola Mundo do Balão Mágico (Londrina, PR), ganhador do Premio Darcy Ribeiro em 2018, o possível novo secretário tem um método próprio de alfabetização e é amante do homeschooling, ou seja, de que as crianças possam ser ensinadas em casa pelos próprios pais ou sob sua responsabilidade direta. Acho que não surpreenderei ninguém se afirmar que o novo Secretário é um opositor do pensamento de Paulo Freire. É o que pode ser lido no site chamado “Sempre Família”:

“Entusiasta do homeschooling, opositor ao pensamento de Paulo Freire e otimista com o governo Bolsonaro. Há um ano um educador com esse perfil dificilmente seria visto como bem-sucedido. Os últimos meses, contudo, têm dado provas contundentes de que o Brasil entrou num novo tempo e Carlos Nadalim já desponta como nome de destaque nos novos rumos da Educação que o país poderá tomar.”

Leia aqui.

O site “Sempre Família” é ligado ao Grupo Paranaense de Comunicações.

Você também pode baixar em um site chamado “Como educar seus filhos” um ebook para pré-alfabetizar seus filhos em casa. Trata-se da metodologia desenvolvida pelo próprio Carlos Nadalim.

“O e-book “As 5 Etapas para Alfabetizar seus Filhos em Casa – O Guia Definitivo” traz para você a essência do método eficaz de pré-alfabetização criado pelo premiado prof. Carlos Nadalim, ao longo de cinco anos de pesquisas.”

Baixe aqui.

 Ou baixe aqui.

Como se sabe, defensores de homeschooling tendem a ser defensores de vouchers para financiar o estudo dos filhos em casa ou onde ele quiser. É o tal “empoderamento do cidadão”. O Estado repassa dinheiro para uma “conta poupança de educação” e os pais o utilizam para efeito de formação dos filhos. Há outras versões também para repasse do dinheiro público aos pais.

Leia também aqui.

Trata-se na verdade de um mecanismo para utilizar recursos públicos para financiar a iniciativa privada e para financiar atividades religiosas – entre outras causas que não poderiam demandar dinheiro público direto do Estado.

O homeschooling permite que os pais tenham controle total sobre a formação dos filhos, “reproduzindo-os” com os mesmos conceitos e valores que defendem, sem direito à vivência da diversidade. Com isso, alimentam a intolerância ao diferente na sociedade e agravam as relações sociais, além de prejudicar o desenvolvimento integral das crianças que são privadas da convivência com outros estudantes.

Recentemente o STF desautorizou esta forma de ensino em casa. Mas, há um projeto no Congresso para tornar isso possível.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Estreitamento Curricular, Privatização, Segregação/exclusão, Vouchers e marcado , , , . Guardar link permanente.

21 respostas para A nova Secretaria de Alfabetização do MEC

  1. Helena disse:

    No nosso país isso dificilmente dara certo. Os pais não auxiliam nem nas tarefas de casa 🏠. Quanto mais alfabetizar seus filhos. Depois muitos crianças vivem com avós ou outros familiares. Os pais dificilmente irão concorrer já que pagam seus impostos p ter uma educação gratuita para seus filhos. Os pais não vão a escola nem nas reuniões de pais ou quando são chamados p ir.

    • Agda Martins de Souza disse:

      Como ensinar o que não se sabe? Muitos pais brasileiros não são alfabetizados. Eu estou contando com o programa PMALFA em 2019 em nossas escolas novamente. Em nosso município o programa superou nossas expectativas espero que as mudanças não sejam tão radicais.

      • Vivian Cruz disse:

        Acredito que não são os analfabetos que decidem educar os filhos em casa. Existem muitas pessoas com bom preparo intelectual no Brasil. As crianças serão avaliadas periodicamente, caso não correspondam às expectativas deverão voltar ao ensino tradicional. Os estudos sobre homeschool são muito animadores. .

    • Eliana disse:

      Eu gostaria de entender o que aconteceu ao longo dos anos? Por que os pais sequer ajudam os filhos com as tarefas escolares? O que aconteceu para que não valorizem mais a escola?

  2. Marcelo Duarte Lima disse:

    Acho isso uma verdadeira palhaçada, visto que já está muito complicado vc passar um pouco de conhecimento pro Aluno na escola, imagina em casa que infelizmente muitos pais são ausentes .
    Muito triste ver pessoas acreditando e apoiando essa forma de educação!

    • Morgana da Luz Wagner disse:

      Marcelo, este tipo de educação não é obrigatória. Faz quem quer e quem pode (pais que dispõem de tempo e recursos). Leia mais sobre a educação domiciliar e certamente você se surpreenderá com os benefícios.

    • Camila disse:

      Mas Marcelo, pense comigo. Pais ausentes jamais vão optar por educação domiciliar. Essa será uma opção válida para quem se identifica com esse estilo de vida, e não uma imposição à todos os brasileiros.

  3. Goreth disse:

    Quero vê o que uma criança de pai analfabeto vai aprender. Os pais não tem consciência desta responsabilidade ,então que futuro teremos .
    Manda este futuro secretário para as periferias ou para dentro das escolas ,para ele entender a realidade brasileira .
    Viajar no Brasil futuro secretário .

    • Morgana da Luz Wagner disse:

      Goreth, você conhece o Carlos Nadalim? Creio que ele só tem a acrescentar à educação brasileira, pois o método que ele propõe de alfabetização é o mais eficaz. Comecei em casa com meu filho, quando tinha 3 anos, e com 3 anos e 9 meses ele estava lendo. Muitas crianças são analfabetos funcionais, tem 9 anos e não lêem.

    • Gustavo disse:

      Não entendi. Viajar no Brasil futuro? Sobre o que você disse querer ver, acredito que os interessados em educar os filhos não sejam os pais analfabetos.

  4. Eliana disse:

    Isso é um retrocesso.
    Falamos tanto em como respeitar o próximo o respeito as pessoas que são diferentes que pensam diferentes.
    Para a formação de uma criança é necessário o convívio com os outros de outras culturas de outros modos de agir de pensar.
    Os pais devem se preocupar com a educação e não com o ensino. Para isso existem as formações dos professores.
    Eu mesma não gosto dessas ideias.

    • Camila disse:

      Esse convívio com o diferente acontece apenas na escola?
      Se considerarmos uma classe com 30 alunos, todos com idades semelhantes, vivendo na mesma era, recebendo as mesmas influências digitais e sociais, mais me parece um convívio com iguais. Também sei que cada ser já carrega sua bagagem de experiências vindas de casa, com seus pensamentos, vivências, realidades diferentes. E acredito que isso contribua e seja necessário para o ser humano. Mas discordo no ponto em que só temos isso na escola. E que se tirarmos nossos filhos da escola eles não se socializarao com diferentes.

  5. Luciana Oliveira Menezes disse:

    Tem todo o meu apoio como professora.
    Engraçado o PT, pode financiar o Ensino Superior em Entidade Privada e o Presidente Bolsonaro não pode ?
    Dois peso e duas medidas.
    Se o método Paulo Freire valesse não teríamos analfabetismo nos quase 15 anos do governo petista.

    • Edgard Matiello Jr disse:

      Ensino superior envolve adultos e isto é para as crianças. Paulo Freire nunca foi assumido como pensador oficial dos governos petistas, mas foi em outros tantos países, com livros traduzidos para vinte idiomas.
      E a questão aqui não é o teórico de fundo, mas sim a desmobilizacao do ensino público como um todo. A falta de oportunidade de socialização de crianças.

  6. Ana Pires disse:

    Estatisticamente, qual o número de famílias brasileiras que têm acesso a internet ? Essa proposta não reduzirá o número de analfabetos mas fará almentar a distância entre os que estudam e os que continuarão sem estudar.

    • Claudileude de Jesus Silva disse:

      Verdade. Um país que já carrega uma dívida de milhões de brasileiros analfabetos…com uma proposta dessa, como possibilitaremos o acesso a cultura letrada?

  7. Claudileude de Jesus Silva disse:

    Meu Deus, que horror!!! Estão de fato querendo acabar com a educação em nosso país. Isso é um absurdo!
    Sou professora a favor da liberdade!

    • Morgana da Luz Wagner disse:

      Se você é favor da liberdade, Claudileude, deveria ser a favor de deixar os pais optarem pelo melhor tipo de educação que eles acham conveniente. Muitos países desenvolvidos tem permitido a educação domiciliar e tem colhido benefícios. A questão não é ser contra a escola, mas defender um ensino pleno de qualidade, de forma gratuita. Onde se respeitem as dificuldades, facilidades e interesses da criança. Onde o modelo de educação é moderno, diferente e eficaz. Isso o Brasil não oferece, infelizmente.

  8. Irismar disse:

    Ensino em casa é tudo de bom. A escolha do novo ministro foi como maravilhosa.

  9. Morgana da Luz Wagner disse:

    Como que o Nadalim é amante do homeschooling se ele mesmo é dono de uma escola? A notícia é de que ele será o possível secretário dessa nova secretaria. O que a educação domiciliar (homeschooling) tem a ver? Se ele conhece e aprova os benefícios do homeschooling, isso não desmerece ele como professor e profissional.
    Creio que ele tem sim muito a acrescentar à educação brasileira, na questão da pré- alfabetização e Alfabetização. O método fônico, que ele utiliza, é o mais eficaz. Ele poderia trazer a experiência bem sucedida da escola dele pra outras escolas.

  10. Pingback: Governo Bolsonaro (PSL) quer transformar homeschooling em política pública – Blog do Prof. Christian

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s