Goiás: “diálogo” dura pouco

A Secretária da Educação, Cultura e Esportes de Goiás, Professora Raquel Teixeira, enviou ofício à Saneago solicitando que fosse interrompido o fornecimento de água nas escolas públicas estaduais ocupadas por estudantes secundaristas, que lutam contra a terceirização das escolas públicas em Goiás.

Como se vê, a proposta de diálogo do governo de Goiás durou pouco. Já partiu para a repressão.

Neste momento já são 22 duas as escolas ocupadas.

Leia mais aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Escolas Charters, Privatização, Responsabilização/accountability. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s