Educação Física está sendo “apagada” no Ensino Médio

As consequências nefastas das políticas educacionais aprovadas especialmente depois de 2017 já começam a ser visíveis. Coletivo de professores de Educação Física dos Institutos Federais de todo o país, divulgam carta em defesa urgente da Educação Física nos cursos técnicos de nível médio-modalidade integrada, já que, depois da reforma do Ensino Médio e da Base Nacional Comum Curricular, a Educação Física vem desaparecendo dos currículos dos cursos técnicos de nível médio-modalidade integrada.

Em carta dizem:

“Diante dessa reflexão, escrevemos esta carta para a comunidade brasileira na tentativa de reacender o debate que nos manteve/mantém vivos/as e comprometidos/as com a formação integral das pessoas, com o enfrentamento e superação de todas as formas de opressão e com a transformação da realidade. Como professoras e professores de uma instituição de ensino reconhecida por sua excelência por toda população brasileira, não podemos aceitar o empobrecimento dos currículos, o tratamento desigual das disciplinas nas matrizes curriculares dos cursos técnicos de nível médio, modalidade integrada, e a volta de um projeto educacional que pretende manter as desigualdades sociais vividas pelos filhos e pelas filhas das trabalhadoras e dos trabalhadores do Brasil.

Reconhecemos a necessidade do debate e enfrentamento do desafio que nos é imposto via lei n.º 13.415/17 e pela implementação da Base Nacional Comum Curricular para o ensino médio no ano de 2018. Porém, evidenciamos a urgência e emergência de um fluxo institucional nos Institutos Federais que promova espaços plurais para fomento/modificação/qualidade da política curricular do ensino técnico de nível médio, modalidade integrada. Ao tratarmos sobre currículo em uma instituição como a nossa, não podemos perder o horizonte de interesses, mobilizações e disputas engendrados neste processo. Portanto, quanto maior a abertura para discussões, melhores serão os resultados para a comunidade acadêmica. Ressaltamos que estamos prontos, disponíveis e na expectativa deste diálogo autêntico acerca da obrigatoriedade da Educação Física.”

Leia íntegra aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Assuntos gerais, MEC sob Bolsonaro, Pastor Milton no MEC, Responsabilização/accountability e marcado , , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Educação Física está sendo “apagada” no Ensino Médio

  1. FREELULAINNOCENT disse:

    Deplorável !
    Como professor de Arte, estou sentindo o mesmo abalo desastroso

  2. Antonio Simplicio de Almeida Neto disse:

    Isso também está ocorrendo com a disciplina História, agrupada na área de Ciências Humanas e Sociais Aplicadas (+ sociologia, + geografia, + filosofia). E o jogo fecha com a BNC Formação de Professores. Precarização de cabo a rabo.
    No âmbito da ANPUH-SP publicamos um texto que trata dessa questão: “De intelectuais ao precariado: para onde vão os professores e o ensino de história?”. Aos interessados, pode ser obtido no link

  3. Flávio Lico disse:

    Obrigado pelo espaço, Professor.
    Entendemos que essa luta é nossa, mas da Educação como um todo também.
    Abraços.

  4. André Maattedi disse:

    É lamentável! Nada mais lamentável, na nossa escola livresca, bacharelesca, da decoreba, do propedêutico, do vestibular… As práticas desportivas sumiram efetivamente das escolas! Há algum tempo, fiquei sabendo que a educação física que resta divide o tempo com aulas teóricas em sala de aula. Na minha visão, um absurdo!

  5. Victor disse:

    Como profissional da Educação Física, vejo o quanto a sociedade precisa de consciência corporal para a vida e sua suma importância para tratar os problemas de saúde que estamos enfrentando. Portanto, como população não podemos aceitar a descaso com essa e nenhuma das outras disciplinas, que na verdade precisam é ser suplementadas com a volta da Ética, Moral e Cívica já esquecidas no tempo.

  6. Olá professor Dr. Luiz Carlos de Freitas, agradecemos profundamente o constante destaque que faz em suas falas e escritos sobre a importância da Educação Física escolar. Lutar e resistir sempre!! Aproveito para destacar que enviei um e-mail para o senhor que trata de alguns encaminhamentos de luta e resistência, sendo que sua ajuda será de fundamental importância.
    E-mail: mjrgoias2012@hotmail.com

    Nos professores e professoras de todos os níveis e modalidades de educação agradecemos toda sua militância em nome de uma educação pública de qualidade.

    “A Educação Física na conjuntura política e cultural do Ensino Médio é um componente curricular em disputa e debates históricos sobre o direcionamento para a formação e o desenvolvimento dos jovens estudantes brasileiros. Perante as atuais políticas educacionais e curriculares no Brasil, emerge a necessidade de reflexão crítica sobre o “não lugar” da Educação Física nessa etapa da Educação Básica e de defesa da grande importância e papel desta disciplina no desenvolvimento dos estudantes adolescentes”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s