A lei de responsabilidade educacional americana

Postado originalmente na Uol em 6/04/2011

A lei de responsabilidade educacional americana No Child Left Behind, vista por quem a está experimentando.

Começou com o ‘No Child Left Behind’

By Diane Ravitch

New York Times  – 6 de março de 2011

É uma queixa antiga, ecoou através de toda a história americana: os professores não recebem o respeito que merecem. Foi um longo caminho desde a antiga denúncia até a atual campanha de difamação dirigida em nossa nação a mais de três milhões de professores.

As raízes desta campanha de difamação podem ser atribuídas à lei federal de 2002 chamada No Child Left Behind. Essa lei exige que todos os alunos devem estar “proficientes” nos testes estaduais em 2014, uma meta jamais atingida por qualquer nação ou estado. Qualquer escola que não consiga atingir esse objetivo utópico acabará por ser declarada “mal sucedida”, com conseqüências terríveis, inclusive a demissão de pessoal e fechamento da escola.

O pressuposto por trás dessa abordagem punitiva é que o desempenho deficiente do estudante é causado por professores e diretores incompetentes, apesar de décadas de ciência social mostrarem que a renda familiar é o preditor mais confiável dos resultados de um teste.

Continue lendo (em inglês):

http://www.nytimes.com/roomfordebate/2011/03/06/why-blame-the-teachers/it-started-with-no-child-left-behind

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Links para pesquisas, Postagens antigas da UOL, Responsabilização/accountability e marcado , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s