Charters: mais caras e sem melhores resultados

Um novo estudo com escolas charters no estado americano de New Mexico mostra que elas gastam mais para produzir o mesmo resultado das escolas públicas regulares. O estudo constatou que os alunos das escolas charters receberam $ 8.663 por aluno, enquanto as escolas distritais regulares receberam $ 7.597, durante o ano orçamentário de 2015.

Em New Mexico existiam 97 escolas chartersatendendo cerca de 22.000 estudantes no ano passado, contra 59 escolas em 2010 e apenas duas em 2000. Isso imita o ritmo constante de crescimento de atendimento em todo o país em escolas charters, que excede a 2,5 milhões de estudantes.

Yann Lussiez disse que as escolas charters que têm notas mais altas tendem a ter um menor percentual de estudantes economicamente desfavorecidos. A avaliação do estado ainda levantou preocupações específicas sobre custos e desempenho nas chamadas escolas charter virtuais que oferecem cursos on-line remotos.

As escolas virtuais têm uma média de 41 alunos por professor com muito maiores exigências sobre professores do ensino médio e superior, e não geraram a economia esperada nos custos de infra-estrutura.

Veja mais aqui.

Sobre Luiz Carlos de Freitas

Professor aposentado da Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - (SP) Brasil.
Esse post foi publicado em Escolas Charters, Privatização, Responsabilização/accountability, Segregação/exclusão. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s